Técnicas Laboratoriais – FIV clássica e ICSI

A fertilização in vitro está indicada para falha de tratamento de baixa complexidade, casais sorodiscordantes, endometriose, obstrução tubária ou alteração seminal.

No laboratório, pode ser realizada a fertilização in vitro clássica ou a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI). Na FIV clássica os espermatozoides móveis (após o processamento do sêmen) são colocados ao redor do óvulo em uma placa para que ocorra a fecundação.

A ICSI (da sigla, em inglês, intra cytoplasmic sperm injection) é uma técnica muito parecida com a FIV clássica. Mas, em vez de deixar que os espermatozoides fecundem naturalmente o óvulo na proveta de vidro, é realizada, como o nome sugere, uma injeção de espermatozoide diretamente no óvulo, para forçar a fecundação. É indicada quando os homens apresentam problemas sérios em suas células reprodutivas (pequena quantidade, ausência – a azoospernia –, má-formação ou falta de movimentação dos espermatozoides).

Mulheres com problemas na camada externa dos óvulos (zona pelúcida) também podem se beneficiar da ICSI. Quando essa camada, parecida com uma gelatina, é muito espessa, ela pode criar uma resistência a mais à fecundação. A injeção de espermatozoides elimina esse fator.