80% das pessoas terão dores nas costas. Veja como se proteger

Centro de Reabilitação; Dor e Distúrbios do Movimento
Fonte: Dr. Douglas Kenji Narazaki, ortopedista e traumatologista no Hospital Sírio-Libanês
Publicado em 15/02/2017

De cada dez pessoas, oito terão dores nas costas ao longo da vida, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Na maioria das vezes, essas dores não têm uma causa específica, mas também podem ser provocadas por hérnias de disco, estenoses, tendinites, listeses, artrite reumatoide, entre outras doenças. Saiba como elas podem lesar sua coluna e veja como se proteger.

Dores nas costas inespecíficas — Representam aproximadamente 85% dos casos, informa o dr. Douglas Kenji Narazaki, ortopedista e traumatologista no Hospital Sírio-Libanês. "As dores são inespecíficas quando mesmo após história clínica, exame físico e exames adicionais não conseguimos afirmar que determinada alteração de imagem seja a causa da dor", explica o médico.

Hérnia de disco — Os discos localizados entre as vértebras que formam a coluna espinhal saem da sua posição normal e passam a comprimir as raízes nervosas, causando pressão sobre elas e, consequentemente, dor. O desgaste pelo tempo e a genética estão entre as causas principais da hérnia de disco lombar, mas forçar as costas para levantar peso excessivo também pode ser um desencadeador desse problema, assim como o tabagismo. "O fumo contribui para o desgaste precoce dos discos intervertebrais", explica o dr. Narazaki.

Estenose — Trata-se de um estreitamento do canal medular (local por onde passa a medula e raízes nervosas) da coluna. Na maioria das vezes, a estenose lombar é um problema natural relacionado ao envelhecimento, mas pode ter causas congênitas ou ser provocada por tumores.

Tendinite — É uma inflamação dos tendões, que são as estruturas que ligam os músculos aos ossos. Quando afeta o ombro, a tendinite pode irradiar para a região das costas. A principal causa desse tipo de tendinite é o uso excessivo dos braços em tarefas laborais ou atividades esportivas.

Listese (espondilolistese) — Segundo explica o dr. Narazaki, é o escorregamento ou a subluxação de uma vértebra sobre a outra na região da coluna. Esse problema pode ocorrer por defeitos genéticos de formação, envelhecimento, traumas por quedas ou pela presença de tumores.

Artrite reumatoide — É uma doença inflamatória crônica que geralmente afeta as pequenas articulações das mãos e dos pés, mas também pode atingir as costas, causando dor. A artrite reumatoide é uma doença autoimune, ou seja, faz com que o sistema imunológico do corpo ataque os tecidos saudáveis por engano. Como o estrógeno (hormônio feminino) tem mais poder de estimular a imunidade que a testosterona (hormônio masculino), as mulheres acabam sendo as mais afetadas, pois seu organismo tem maior ativação do sistema imune e, consequentemente, dos anticorpos "agressores". Outros fatores de risco são: envelhecimento, obesidade, histórico familiar deste problema e doenças associadas, como diabetes e gota.

Como prevenir as dores nas costas?

Apesar de as dores nas costas estarem associadas muitas vezes ao envelhecimento e ao desgaste natural da coluna, elas também são comuns nas pessoas jovens. Segundo observa o dr. Narazaki, existem dois grupos etários que se queixam mais desse problema: dos 20 aos 25 anos de idade e dos 40 aos 60 anos de idade. O primeiro grupo marca o ingresso no mercado de trabalho e o segundo, a aproximação da terceira idade. Em ambos os casos, são períodos em que as pessoas tendem a diminuir a movimentação corporal.

Por isso, a prática regular de atividade física é um dos meios mais eficazes de prevenção das dores nas costas. No entanto, isso deve ser feito com orientação de um profissional, pois ele saberá indicar os melhores exercícios para cada pessoa. Outras ações que ajudam a prevenir as dores nas costas são:

  • Perder peso, para quem estiver acima do peso.
  • Não fumar.
  • Escolher cadeiras confortáveis para trabalhar e usar o computador.
  • Caminhar por cinco minutos a cada duas horas sentado.
  • Evitar movimentos repetitivos que envolvam a articulação do ombro.
  • Evitar o uso de calçados com saltos muito altos (acima de 4 cm).
  • Evitar carregar, sem preparo, pesos superiores a 10% de seu peso.
  • Evitar colchões muito duros ou moles demais.

Como diagnosticar e tratar as dores nas costas?

As dores nas costas merecem atenção médica, sobretudo quando são intensas por mais de um dia e não passam após período de descanso; ou quando se tornam frequentes com crises que vão e voltam.

Os médicos avaliam as pessoas com dores nas costas levando em conta seus sintomas e estilo de vida e, com o auxílio de exames de imagens, como ressonância magnética e tomografia computadorizada, detectam a presença ou não de doenças que podem estar causando as dores.

Como a maioria dos casos de dores nas costas não tem uma causa específica, o tratamento tende a ser para o alívio da dor com medicamentos orais ou sob a pele na região dolorida, acompanhado de compressas de água quente (tensão muscular) ou gelo (inflamação) e fisioterapia. Acupuntura, quiropraxia (terapia que usa técnicas manuais, exercícios e orientação postural) ou infiltrações na coluna com medicamentos anestésicos ou corticoides também podem ser indicadas pelo médico.

A necessidade de cirurgia para o tratamento de dores nas costas é rara, segundo o dr. Douglas Kenji Narazaki. "A cirurgia é utilizada mais em casos de hérnias de disco invertebral ou estenoses de coluna, quando essas não respondem ao tratamento clínico, tumores ou fraturas instáveis na coluna", comenta.

O Hospital Sírio-Libanês conta com um Núcleo Avançado de Dor e Distúrbios do Movimento, composto por diversos médicos ortopedistas especializados em dores nas costas. Eles atuam em parceria com médicos fisiatras, neurocirurgiões, anestesistas, fisioterapeutas, entre outros profissionais. Se as dores nas costas forem devido à artrite reumatoide, o hospital tem ainda um Núcleo Avançado de Reumatologia.

Além desses grupos formados por profissionais experientes e especializados, o Hospital Sírio-Libanês coloca à disposição das pessoas com dores nas costas seu Centro de Reabilitação, cujo atendimento não está voltado apenas para as doenças e suas causas, mas também para o acolhimento e o entendimento das necessidades de cada paciente.