Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

 
Fonte: Dr. Andre Hovnanian | Dr. Eduardo Leite Vieira Costa
Publicado em 18/11/2020

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma condição em que a saída de ar é dos pulmões é dificultada por problemas nas vias aéreas, no tecido pulmonar ou nos dois. Hoje em dia, é a terceira causa de morte no mundo. O conceito de DPOC engloba um amplo espectro do qual os extremos são o enfisema e a bronquite.

A DPOC é causada pela inalação de partículas ou gases, principalmente a fumaça do cigarro. As manifestações mais importantes são falta de ar, chiado no peito e tosse crônica. A DPOC possui uma fase assintomática, em que ocorre redução progressiva da função pulmonar sem que o portador da condição perceba. Muitas vezes, o paciente se engana acreditando que os sintomas fazem parte do envelhecimento normal ou de falta de condicionamento. Por esse motivo, deve-se sempre considerar a o diagnóstico em todas os fumantes e ex-fumantes, principalmente naqueles com alta carga tabágica.

O diagnóstico é feito através da presença de fatores de risco, como o tabagismo, e de suspeita clínica. A confirmação requer realização de exame funcional pulmonar, a espirometria. Esse exame revela um distúrbio obstrutivo e irreversível da ventilação. É como se o pulmão fosse mais velho do que o esperado para a idade da pessoa. Em casos mais avançados, pode haver necessidade de oxigênio domiciliar. Alguns pacientes apresentam também predisposição a infecções virais e bacterianas. São as chamadas exacerbações da DPOC, que podem em parte ser evitadas com as vacinas contra influenza e pneumococo.

A medida mais importante de combate à DPOC é a cessação do tabagismo. Não existe cura para DPOC, mas há medicações e programas de reabilitação que podem melhorar os sintomas e a qualidade de vida. Em casos selecionados, cirurgia e uso de válvulas endobrônquicas podem também ajudar. Se você é ou foi fumante, procure seu pneumologista.