Conheça a cistite de lua de mel ou síndrome do namorado novo

Urologia
Fonte: Dr. Eduardo Vieira da Motta, ginecologista no Hospital Sírio-Libanês.
Publicado em 31/01/2017

Cistite é a inflamações da bexiga. Ela ocorre quando bactérias que habitam a região perineal (ao redor do ânus), como a Escherichia coli, chegam à bexiga e se multiplicam. Como durante o ato sexual há um movimento constante de fricção entre os órgãos genitais, aumentam-se as chances de essas bactérias serem transportadas da região perineal para o canal da uretra, podendo assim chegar à bexiga. Ou seja, quanto mais relações sexuais, maiores as chances desse tipo de infecção. Por isso surgiram as expressões "cistite de lua de mel" e "síndrome do namorado novo".

Ginecologista no Hospital Sírio-Libanês, o dr. Eduardo Vieira da Motta explica que a cistite pode afetar qualquer pessoa, embora seja mais comum nas mulheres do que nos homens. "A uretra das mulheres mede, em média, 5 cm e a dos homens, 12 cm. Sendo assim, o caminho para as bactérias chegarem à bexiga das mulheres é mais curto do que nos homens", explica.

Além do ato sexual, a cistite também costuma ocorrer em consequência dos seguintes comportamentos:

  • Segurar a urina por muito tempo, pois a urina torna-se mais concentrada, criando assim um ambiente propício para a multiplicação de bactérias.
  • Beber pouco líquido, pois isso diminui a micção, que ajuda a lavar a bexiga e eliminar as bactérias.
  • Falta de higiene adequada, pois aumenta a presença de bactérias na região perineal (mais comum em crianças e idosos).

Como identificar e tratar a cistite

Os sinais mais comuns da cistite são: vontade frequente de urinar, porém durante o ato de micção a urina é escassa ou acaba nem saindo; e dor ou ardência para urinar.

Segundo o dr. Motta, quando isso ocorre devemos nos hidratar bem, ingerindo cerca de dois litros ou mais por dia de água, suco e outros líquidos. "Como as pessoas sentem dor, acabam se hidratando menos para evitar a micção, mas o tratamento é justamente o contrário", alerta. "Devemos beber muita água, pois assim iremos urinar mais e limpar a bexiga. Se a urina estiver clara, é sinal de que estamos bem hidratados", explica.

Se os sintomas da cistite não passarem após um ou dois dias de boa hidratação (acima de 2 litros por dia), forem muito incômodos, vierem acompanhados de febre ou sangue na urina, devemos procurar por ajuda médica rapidamente.

O diagnóstico da cistite geralmente é clínico, mas o médico também pode solicitar alguns exames de urina ou de imagem como raios X, ultrassonografia e citoscopia para confirmar a infecção e o tipo de bactéria que causou a doença.

Se a ingestão de mais de dois litros de líquido por dia não for suficiente para curar a cistite, o tratamento dessa infecção pode envolver também medicamentos antibióticos de uso oral.

O serviço de Pronto Atendimento do Hospital Sírio-Libanês conta com profissionais experientes no diagnóstico e no tratamento da cistite. Para outras doenças que afetam a bexiga e exigem tratamentos mais duradouros, como a cistite intersticial (um tipo de infecção crônica da parede da bexiga) e a incontinência urinária, o hospital conta com o Núcleo Avançado de Urologia. Esse grupo presta atendimento especializado para homens e mulheres, oferecendo diferentes tipos de tratamento conforme as necessidades de cada paciente.