Qualidade e Segurança

Metas internacionais de segurança do paciente

1. Identificação do Paciente

A identificação correta do paciente é muito importante para garantia da segurança do processo assistencial. Essa ação é o ponto de partida para a correta execução das diversas etapas de segurança em nossa instituição. Em qualquer situação, mesmo naquelas em que o paciente não pode responder por si mesmo, isso garante o atendimento correto para a pessoa correta. O processo de identificação do paciente deve ser capaz de identificar corretamente o indivíduo como sendo a pessoa para a qual se destina o serviço (medicamentos, sangue ou hemoderivados, exames, cirurgias e tratamentos). Esse processo exige pelo menos dois diferentes identificadores, tais como nome completo e data de nascimento.

2. Melhorar a eficácia da comunicação

A comunicação entre os profissionais de saúde deve ser clara, objetiva, completa e fácil de ser compreendida por todos. Isso reduz erros e resulta em mais segurança para o paciente. Essa comunicação se dá através da passagem de plantão entre equipes, nas transferências internas e externas, na ordem verbal em situações de emergência, na divulgação dos resultados críticos de exames, além dos registros no prontuário. O Sírio-Libanês conta com ferramentas e processos bem definidos para atender a esse propósito.

3. Melhorar a segurança de medicamentos de alta vigilância

Medicamentos de Alta Vigilância, ou medicamentos potencialmente perigosos, são aqueles que apresentam risco aumentado de provocar danos aos pacientes em decorrência de falha no processo de utilização. Os erros que ocorrem com esses medicamentos não são os mais frequentes, porém suas consequências tendem a ser mais graves, podendo ocasionar lesões permanentes ou até a morte. Nossa instituição dispõe de alertas em suas prescrições médicas, com etiquetas afixadas para sinalizar tais medicamentos. Ao serem preparados e administrados, dois colaboradores devem realizar a checagem dessa medicação.

4. Garantir cirurgias e procedimentos invasivos seguros

Visando garantir que cirurgias e procedimentos invasivos sejam realizados no paciente correto, no local correto e o procedimento correto, o Sírio-Libanês adota o Protocolo Universal da JCI baseando-se no princípio de usar múltiplas estratégias para alcançar o objetivo que é evitar danos ao paciente.

5. Reduzir o risco de infecções associadas a cuidados de saúde

A higienização das mãos é essencial para a diminuição de riscos de infecções. Por isso, é fundamental seguirmos as regras da campanha “Salve Vidas – Higienize suas mãos”, da Organização Mundial de Saúde (OMS). Outras formas de reduzir o risco de infecção são: monitorar o uso de antibióticos, adotar medidas para prevenção de infecção de corrente sanguínea pelo correto manuseio de cateteres venosos e utilizar corretamente os isolamentos.

6. Reduzir o risco de danos aos pacientes resultantes de quedas

Muitas lesões ao paciente no ambiente hospitalar resultam de quedas. O risco de queda está associado ao paciente, à situação e/ou ao local. No Sírio-Libanês, todos os pacientes internados e externos são avaliados quanto ao risco de quedas. Após a avaliação eles são identificados com uma pulseira para que medidas de prevenção possam ser tomadas.