Ombro e Cotovelo

Luxações no ombro

O ombro, por ser uma articulação muito móvel, acaba se tornando mais vulnerável ao deslocamento quando comparado com outras articulações. A luxação ocorre quando há deslocamento da articulação do ombro, ou seja, quando o ombro sai do lugar, separando a cabeça do úmero da glenoide. Na maioria dos casos, é necessária uma intervenção médica para colocá-lo de volta no lugar. Outra lesão comum nessa região é a chamada subluxação – quando o ombro não se desloca completamente, voltando ao lugar de maneira espontânea.

Essas situações podem ocasionar lesões nos tecidos, causando, na maioria das vezes, danos nos ligamentos e nos ossos. Em alguns casos, os tendões do manguito rotador podem sofrer lesões, e fraturas podem ocorrer, tornando a luxação mais grave.

O tipo de luxação mais comum no ombro é a chamada anterior, causada por um trauma. A pessoa percebe que algo saiu do lugar, sendo incapaz de movimentar o braço. A luxação pode ocorrer também por uma tração do ombro para a frente, como se o braço fosse puxado.

Na luxação anterior, o úmero é deslocado para a frente. Na luxação posterior, o úmero é deslocado para trás. Essa situação é mais rara, podendo ocorrer devido a quadros de convulsões, de choques elétricos ou de acidentes automobilísticos, quando o paciente está com o braço esticado ao volante e sofre um trauma súbito.

Tratamento das luxações no ombro

Ao ocorrer o deslocamento, o objetivo inicial deve ser colocar o ombro no lugar, o que deve ser feito por um médico especializado, após uma avaliação clínica e exames de imagem.

Após a redução da lesão, é necessário realizar novos exames para que o médico se certifique que o procedimento foi realizado de maneira correta e reavalie as lesões ocasionadas pela luxação, bem como estabeleça um plano para o tratamento. O paciente deve fazer uso de tipoia por um período determinado pelo médico, calculado de acordo com a gravidade da luxação.

Dependendo do caso, após o primeiro episódio da luxação pode ser realizado o tratamento conservador, no qual a reabilitação visa fortalecimento, ganho de movimento e estabilização do ombro lesionado.

Novas luxações podem ocorrer devido às lesões ocasionadas no ombro. As pessoas mais expostas ao risco de recidiva são jovens, esportistas ou que possuem demanda elevada em determinadas atividades ou realizem atividades de risco à vida em caso de nova luxação, como surfistas e escaladores.

A cirurgia pode ser necessária dependendo da gravidade da lesão e de uma ampla discussão com o paciente sobre os riscos de novas luxações.

 


Você está visualizando:

Ombro e Cotovelo

Outros conteúdos disponíveis para esta especialidade: