Bancos de Sangue

O Banco de Sangue do Sírio-Libanês tem como visão a realização de rotinas hemoterápicas com segurança, dentro de um escopo de autossuficiência. É voltado tanto para as ações de atendimento de saúde quanto para o ensino e pesquisa.

Equipamentos de alta tecnologia garantem pleno suporte hemoterápico aos transplantes de fígado e medula óssea, cirurgias cardiovasculares, procedimentos de coleta e congelamento de medula e glóbulos raros.

O Banco de Sangue do Sírio-Libanês reúne, ainda, um dos maiores estoques de glóbulos raros congelados do Brasil para eventual necessidade de seus pacientes.

Termo de autorização para menor de idade

Controle de Qualidade

Fundado em 1983, o Banco de Sangue do Sírio-Libanês é pioneiro no controle da qualidade do sangue transfundido aos pacientes, bem como na introdução dos testes sorológicos para os vírus da aids, hepatites e outras doenças infecciosas. A incorporação de novos testes continuou sendo implementada no decorrer dos anos para garantir maior segurança do estoque de hemocomponentes.

O teste de Biologia Molecular (PCR), que diminui o intervalo de tempo entre a infecção e a produção de anticorpos do vírus no sangue (janela imunológica) começou a ser realizado na unidade em 1998 para hepatite C, em 2009 para hepatite B e em 2000 para HIV.

A investigação de contaminação bacteriana dos hemocomponentes é realizada desde 1997. A pesquisa de anticorpos antiplaquetários foi introduzida posteriormente.

Veja o Guia de Condutas Hemoterápicas.

Quero ser Doador

​​​​​​​​Doar é um ato de solidariedade e humanismo. O Banco de Sangue do Sírio-Libanês orienta e agenda candidatos à doação de sangue e também organiza campanhas em empresas.

Seja você também um integrante do Clube dos Doadores. Hoje, são cerca de 5 mil voluntários cadastrados. O grupo contribui intensamente com as doações, garantindo um estoque adequado de hemocomponentes para os pacientes internados no Sírio-Libanês.

Horário de atendimento

Se preferir, pode se dirigir diretamente ao Banco de Sangue do Sírio-Libanês, na Unidade Bela Vista.

O serviço funciona de segunda a sábado, das 7h às 16h, exceto feriados. O estacionamento é gratuito para doadores.

*O processo completo de doação pode levar até 40 minutos.

Ciclo da Doação

Saiba quais são as etapas da doação no Banco de Sangue do Sírio-Libanês:

  1. O processo tem início com sua visita ao Banco de Sangue, ou com o preenchimento do formulário on-line. Neste caso, a atendente entrará em contato para agendar dia e hora para a doação.
  2. Ao chegar, você é recebido por um profissional do Banco de Sangue e apresenta um documento oficial de identificação com foto (RG, Carteira de Habilitação, Passaporte ou Carteira Profissional).
  3. Você é então encaminhado para entrevista na sala da Triagem Clínica. Lá, responde a um questionário para assegurar que preenche todas as condições para a doação. Esta fase é crucial para identificar candidatos inaptos devido ao risco da janela imunológica.
  4. São examinados sinais vitais, como temperatura, pulso, pressão arterial e hemoglobina.
  5. Aprovado, você é encaminhado à sala de coleta para realizar a doação de sangue total, ou de plaquetas, por meio da doação automatizada.
  6. Durante a coleta serão retiradas amostras de sangue para a realização da tipagem sanguínea, eletroforese de hemoglobina e os testes para as seguintes doenças transmissíveis por sangue: aids, HTLV, hepatite B, hepatite C, sífilis e doença de Chagas.
  7. O Ciclo da dação deve se encerrar com uma alimentação balanceada, que garanta seu bem-estar após a coleta.

Quem pode doar sangue?

Quem pode doar sangue

​Para a segurança e saúde de todos, algumas regras têm de ser seguidas para a doação. Veja se você tem as condições necessárias para esse importante ato de solidariedade.

Informações Gerais

  • Confira se você está em boas condições de saúde.
  • Você deve ter entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos devem ir acompanhados de pai e mãe, ambos portando documento oficial com foto, ou responsável legal. Para a primeira doação, são aceitos candidatos de no máximo 60 anos.
  • É preciso ter peso superior a 50 kg.
  • Você não deve estar em jejum. Mas aguarde três horas após o almoço antes de doar.
  • Apresente documento oficial com foto (RG, Carteira de Habilitação, Passaporte ou Carteira Profissional).
  • Informe as viagens realizadas no último ano para avaliação sobre a necessidade de exclusão na triagem clínica.
  • Para os homens, é preciso haver um intervalo de 60 dias entre as doações, com no máximo quatro doações ao ano. Para as mulheres, o intervalo é de 90 dias, sendo aceitas três doações ao ano.
  • Durma bem na noite anterior à doação.
  • Evite bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação.
  • O processo da doação leva cerca de uma hora, sendo a coleta realizada no periodo de oito a dez minutos.

Condições de Saúde

  • Algumas doenças, tratamentos, medicações e cirurgias podem levar à exclusão temporária ou definitiva do doador. Veja as restrições principais. Situações não previstas aqui serão avaliadas na triagem clínica.
  • Não estar gripado, com mal-estar ou herpes.
  • Não estar grávida.
  • Não estar amamentando ou ter amamentado nos últimos 12 meses.
  • Não ter sido submetido a endoscopia ou colonoscopia nos últimos seis meses.
  • Não fazer uso de drogas endovenosas.
  • Não ter se exposto a situações de maior vulnerabilidade a infecção pelo HIV, como ter tido múltiplos parceiros sexuais ou parceiros dependentes de drogas.
  • Não ter contraído hepatite após os 11 anos de idade.
  • Não ter contraído doença de Chagas, malária ou sífilis.
  • Não ter diabetes com uso de insulina ou epilepsia em tratamento.
  • Não ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva há menos de 12 meses.
  • Não possuir piercing em cavidade oral ou genital. No caso das retiradas, é preciso esperar 12 meses antes da doação.
  • Não ter realizado tratamentos dentários nos últimos três dias.

É importante você saber

  • Ninguém contrai doenças doando sangue.
  • Todo o material utilizado é descartável.
  • Todo sangue é cuidadosamente examinado. O material coletado passa por rigorosos testes para detectar doenças transmissíveis, como sífilis, hepatites, doença de Chagas, HTLV e aids.
  • Após a doação, você não deve viajar de avião nem fumar nas duas horas seguintes. Também é preciso evitar esforço físico ou ingerir bebida alcoólica nas seis horas seguintes.

Triagem Clínica

Antes de doar sangue ou plaquetas, você deverá responder a algumas perguntas pessoais.

A triagem clínica tem por objetivo permitir que a doação de sangue seja feita com total segurança e redução dos riscos de infecção nos pacientes que recebem transfusões de sangue ou componentes sanguíneos.

Além dos critérios básicos de doação, várias outras perguntas serão feitas. A intenção não é impor conceitos ou opinar sobre seus hábitos de vida, mas assegurar ao máximo a sua saúde e a do receptor.

Vários testes serão realizados para que o sangue e seus componentes possam ser transfundidos:

  • Tipagem ABO/Rh e pesquisa de anticorpos irregulares.
  • Sorologias para HIV, HTLV, hepatites B e C, doença de Chagas e sífilis.
  • Eletroforese de hemoglobina.
  • A carteirinha de doador será enviada pelos correios. Caso haja algum resultado alterado, você será convocado por carta registrada para consulta médica, ou para coleta de nova amostra. Depois será agendada uma consulta para esclarecimentos com o médico do Banco de Sangue.

Sinais Vitais

​​A medição de alguns sinais vitais é essencial para garantir que você não tenha nenhum prejuízo de saúde com a doação de sangue.

Pressão Arterial

Você pode doar sangue com segurança quando sua pressão está controlada dentro dos limites máximos estabelecidos pelo Banco de Sangue, bem como dentro dos limites da medicação utilizada para seu controle.

A hipertensão geralmente não gera sintomas, portanto não traz nenhum alerta para que as pessoas procurem o médico e façam o tratamento adequado. Mas, se não for tratada, traz vários malefícios para o organismo, entre eles o acidente vascular cerebral (derrame cerebral) e o infarto do miocárdio (infarto do coração), que podem ser fatais.

Hemoglobina

Os glóbulos vermelhos constituem entre 45% e 50% do sangue humano e têm a função de carregar oxigênio a todos os tecidos do corpo. Eles são constituídos principalmente por uma molécula chamada hemoglobina, que é a responsável pelo transporte do oxigênio dentro do glóbulo vermelho.

O nível de hemoglobina é verificado antes da doação para assegurar que você não tenha anemia. Anemia é o estado no qual a pessoa tem baixos níveis de hemoglobina. Essa situação causa vários sintomas, como cansaço, sonolência, palidez de pele, apatia e pulso aumentado. Portanto, se você tem algum grau de anemia não poderá doar sangue.

A alimentação desregrada é a principal causa de anemia na população brasileira. As mulheres são as mais acometidas, pois tem perda mensal de sangue através da menstruação. Os alimentos ricos em ferro são os mais importantes para a produção de hemoglobina. Portanto, o doador de sangue precisa manter uma dieta balanceada para continuar doando regularmente.

Pulso

É a medida do ritmo e da frequência cardíaca. Ela é fundamental para afastar arritmias cardíacas, distúrbios que afetam o ritmo de batimento. Para efeitos de doação de sangue, os limites aceitos são de um mínimo de 50 batimentos por minuto e um máximo de 100 batimentos por minuto.

Temperatura

A temperatura elevada (37º C ou mais) pode ser um sinal de doença infecciosa (gripe, resfriado, infecções bacterianas etc).

Por isso, se você estiver com febre não poderá doar, pois pode haver risco de transmissão de doença infecciosa ao receptor.

Avise ao Banco de Sangue caso tenha apresentado sinais de infecção (febre, diarreia, gripe etc.) nas três semanas anteriores à doação.

Janela Imunológica

Todo sangue doado é rigorosamente testado. No entanto, existe um período, denominado janela imunológica, no qual o teste sorológico apresenta resultado não reativo ("negativo") e a pessoa está infectada com algum vírus. Desta forma, o sangue poderia ser erroneamente liberado para uso nos pacientes, ocorrendo a infecção dos receptores.

Para diminuir essa possibilidade, o Sírio-Libanês realiza uma série de perguntas na triagem clínica. Nessa conversa, o doador é indagado sobre situações de vulnerabilidade frente a doenças transmissíveis pelo sangue. Todas as perguntas necessitam de respostas claras e verdadeiras a fim de não trazer riscos de infecção pelo sangue.

A doação de sangue é um ato de amor e humanismo. Ela não deve ser usada como forma de obtenção de exames de sangue gratuitos. Para pessoas que necessitam realizar exames gratuitos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), o Sírio-Libanês recomenda o site da Prefeitura de São Paulo.

Doação de sangue total

​​​​​A doação de sangue total, ou convencional, retira entre 400 e 450 milímetros de sangue de acordo com seu peso e sexo. Esse volume é rapidamente reposto com ingestão de líquidos.

A hemoglobina retorna aos valores de antes da doação em um prazo de um a dois meses, desde que você tenha uma alimentação saudável e rica em ferro.

Esta doação poderá gerar de três a quatro hemocomponentes: concentrado de glóbulos vermelhos, concentrado de plaquetas, concentrado de plasma e concentrado de crioprecipitado. Eles poderão ser utilizados por até quatro pacientes do Sírio-Libanês.

Os glóbulos vermelhos são responsáveis por carregar oxigênio a todas as partes do nosso organismo. As plaquetas têm função na coagulação do sangue e são utilizadas para evitar ou interromper sangramentos. O plasma é composto por água e várias proteínas, entre elas os fatores de coagulação. E o crioprecipitado é um subproduto do plasma que contem grande concentração de alguns dos fatores da coagulação.

Entenda o uso dos hemocomponentes obtidos com a doação

Concentrado de hemácias ou glóbulos vermelhos – Em hemorragia grave levando à anemia, pacientes de grandes cirurgias, abortamento ou parto, acidentes graves, câncer, entre outras situações.

Concentrado de plaquetas – Em hemorragias nos​ pacientes com câncer submetidos à radio ou quimioterapia e outros cenários relacionados com plaquetas baixas (infecções e hepatopatias graves etc.).

Plasma fresco congelado - Uso na produção de hemoderivados em pacientes com deficiência de fatores da coagulação (na ausência do hemoderivado específico).

Crioprecipitado – Em casos de hemofilia e doença de von Willebrand (na ausência do hemoderivado específico).

Doação Automatizada de Plaquetas

​​As plaquetas podem ser doadas separadamente por meio de um procedimento chamado aférese. Esse procedimento consiste na retirada do sangue de um braço do doador, separação das plaquetas dentro do kit descartável utilizado no equipamento de aférese e devolução imediata de todo o sangue ao doador.

O processo demora, em média, entre 60 e 90 minutos e não apresenta nenhum risco infeccioso para o doador. O material usado é todo descartável, assim como na doação de sangue total.

Em uma doação de sangue, somente uma unidade de plaquetas é obtida. A partir da doação de plaquetas por aférese, obtém-se aproximadamente de seis a oito unidades de plaquetas.

A grande vantagem para o paciente é que a transfusão será proveniente de um único doador e, portanto, mais segura pela menor exposição a diferentes doadores. Além disso, esta modalidade de doação melhora consideravelmente o estoque de plaquetas do Banco de Sangue.

Em geral, o doador está apto à nova doação de plaquetas após uma semana, pois já ocorreu a reposição delas na circulação sanguínea. Mas intervalos maiores deverão ser respeitados a critério do médico do Banco de Sangue. A cada doação, é feita uma contagem de plaquetas. O número máximo de doações de plaquetas por aférese é de 24 ao ano.

Outro tipo de doação automatizada é a coleta de dois ou mais componentes do sangue. Ela utiliza o mesmo equipamento da doação de plaquetas por aférese e pode coletar concentrado de glóbulos vermelhos e plaquetas ou plaquetas e plasma.

Condições para doação de plaquetas

Os critérios para ser um doador de plaquetas são os mesmos que os usados para a doação de sangue. Há também algumas condições especiais:

  • Você precisa ter pelo menos uma veia calibrosa para o procedimento.
  • Não deve ter ingerido alimentos gordurosos nas últimas três horas.
  • Nos três dias anteriores à doação, não deve consumir medicamentos que contenham ácido acetilsalicílico (AAS), anti-inflamatórios e alguns tipos de anti-hipertensivos.

Como doar plaquetas por aférese

Você deve fazer uma doação de sangue total e solicitar seu cadastro para doação de plaquetas. Caso seus testes estejam todos "não reativos", você será chamado para doar plaquetas a partir de um mês após a doação de sangue total na data e hora que você preferir e com agendamento telefônico prévio.

Caso você tenha doado em outro serviço há menos de três anos e tenha a carteirinha de doador com testes "não reativos", você já está apto a doar plaquetas.

Este procedimento é realizado somente com agendamento prévio.

Agende uma doação

Se você também quer ser doador, preencha o formulário abaixo e em até 72 horas você receberá um contato para agendamento.​

Agende uma doação

Ícone Calendário

Os campos assinalados com * são obrigatórios