Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

BLOGS DO ESTADÃO
Data Veiculação: 30/12/2020 às 11h35

O Tribunal Superior do Trabalho. Foto: Reprodução/TST Depois de recusar a reserva de vacinas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Fiocruz negou na última terça-feira, 29, um pedido de compra de vacinas contra a covid-19 apresentado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Segundo a Fiocruz, a distribuição de vacinas é de responsabilidade do Ministério da Saúde e do Programa Nacional de Imunizações (PNI). “A Fiocruz, como uma instituição estratégica do Estado brasileiro, visa garantir a produção nacional da vacina contra a covid-19 para a população brasileira, pelo SUS, e atender à demanda do PNI. A produção dessas vacinas será, portanto, integralmente destinada ao Ministério da Saúde”, afirmou a entidade. O TST alega que procurou a fundação para a realização de vacinação interna com o objetivo de “colaborar e acelerar o processo de imunização da população”. De acordo com o TST, a iniciativa segue protocolo já adotado pelo tribunal, que realiza campanhas de vacinação contra a gripe anualmente “a fim de reduzir o contágio da doença no ambiente de trabalho”. Os argumentos do TST são similares aos usados pelo Supremo e pelo STJ para garantir acesso ao imunizante. “O TST já informou que não pediu prioridade para aquisição de vacinas, apenas manifestou interesse na aquisição dentro das diretrizes dos planos de vacinação”, informou o tribunal à reportagem. Em setembro, a presidente do TST, Maria Cristina Peduzzi, foi infectada pela covid-19 após participar da cerimônia de posse do presidente do STF, Luiz Fux, em Brasília. A ministra foi transferida de Brasília para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, ficando internada por 21 dias, mas passa bem. Autonomia Ao negar o pedido do Supremo para reservar vacinas para 7 mil pessoas, a Fiocruz alegou que “não possui autonomia nem para dedicar parte da produção para a imunização de seus servidores”. A divulgação do pedido do STF, revelado pelo Estadão, abriu uma crise interna da Corte e levou à exoneração do médico Marco Polo Freitas do cargo de secretário de Serviços Integrados de Saúde da Corte. Além de solicitar as doses para a Fiocruz, o Supremo pediu a reserva de 7 mil doses de vacina ao Instituto Butantã, que ainda não enviou resposta. “Respeito rigorosamente a hierarquia administrativa do Supremo Tribunal Federal. Nesses 11 anos no STF, nunca realizei nenhum ato administrativo sem a ciência e a anuência dos meus superiores hierárquicos. Continuarei, como médico, de corpo e alma, na luta diária pela saúde e bem-estar das pessoas”, escreveu Freitas, em resposta enviada por e-mail. O STF aumentou de 4 mil para 7 mil o número de doses de vacinas contra a covid-19 que pediu para o Butantã e à Fiocruz reservarem para seus servidores, apontam documentos internos da Corte obtidos pelo Estadão. Segundo os papéis, o médico Marco Polo Freitas preparou duas minutas com pedidos de vacina às duas instituições. Nas solicitações, Freitas fazia menção a uma quantidade menor de imunizantes. No entanto, a versão final dos documentos, enviada pelo diretor-geral do STF, Edmundo Veras dos Santos Filho, às duas instituições, pede doses para 7 mil pessoas, atendendo uma nova sugestão do médico.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 30/12/2020 às 12h46

O médico e suplente de vereador de Várzea Grande José Carlos Dias Pereira, de 36 anos, foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em São Paulo, por causa da Covid-19, na segunda-feira (28). José Carlos havia sido transferido para o hospital no último dia 23. No entanto, o quadro piorou e o profissional precisou ir para a UTI. A assessoria do médico confirmou que o estado dele é crítico e que os pulmões ainda estão muito inflamados. Nas redes sociais, o médico fez uma publicação no dia 23, data em que foi internado. "Eu tive que vir transferido para o Hospital Sírio Libanês em São Paulo, para eu conseguir ter uma recuperação mais rápida e segura, com indicação dos nossos médicos de Mato Grosso", afirmou. Na época, ele relatou que os sintomas da doença ainda eram instáveis e informou que seus familiares e pessoas próximas dele não tinham sido diagnosticadas com a Covid-19. No entanto, ele precisou ir para a UTI, já que não apresentou melhoras. O médico também fez um apelo à população para que tome os cuidados necessários para evitar a infecção pelo vírus. "Deixo o meu apelo, se cuidem! Usem Máscara, álcool gel e pratiquem o distanciamento social. Não brinquem com a vida de vocês!", pediu. Além de médico, José Carlos Pereira também desenvolve ações sociais e disputou uma vaga de vereador na Câmara de Várzea Grande, onde será suplente na próxima legislatura. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) notificou, até essa terça-feira (29), 178,5 mil casos confirmados da doença e 4,4 mil mortes no estado.

A TARDE/SALVADOR | Outros
Data Veiculação: 30/12/2020 às 03h00

Em Conquista reza prevalece aliados próximos de Herzem Gusmão (MDB), prefeito reeleito de Vitória da Conquista, dizem que boa parcela da população vai dobrar o ano mais rezando do que festejando. A reza serápor Herzem, que está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, numa unidade semi-intensiva, mas sem previsão de alta. Ele, que tem 72 anos, testou positivo para a Covid19 e o quadro se agravou. Segundo o boletim, a situação é estável

A TARDE/SALVADOR | Outros
Data Veiculação: 30/12/2020 às 03h00

Neto passa último dia de prefeito no subúrbio, depois foca interior ANÁLISE POLÍTICA, FATOS E CAUSOS Já dizia Magalhães Pinto, político mineiro: política é como as nuvens, você olha agora está de um jeito, daqui a pouco muda tudo. Por aí, o céu de ACM Neto termina 2020 todo azul. E é nessa pegada que ele começa o seu novo normal, em 2021. Já esvaziou as prateleiras do Palácio Thomé de Souza levando pertences pessoais. Os móveis do gabinete, que ele comprou com dinheiro do próprio bolso, deixou. Amanhã, último dia como prefeito de Salvador, após oito anos, termina por on- Agressões na despedida Auditor fiscal do Estado licenciado, Sérgio Guanabara, que nos oito anos do governo de ACM Neto foi secretário de Desenvolvimento Urbano, registra um fato atípico no final: dois servidores se afastaram um pouco da PM e foram agredidos, um deles com fraturas, na operação em Itapuã, domingo. -Fizemos mais de 330 mil ações. Foi a única vez que isso aconteceu. Mas o balanço é positivo. De começou, no subúrbio. Em 2013, assim que assumiu o mandato, Neto foi a Nova Constituinte, no subúrbio, onde fez a primeira incursão de rua, em 19 de janeiro de 2013, e autorizou a primeira obra. Também é por lá que ele cumprirá uma agenda de rua, onde tem o que dizer. COM BRUNO- No subúrbio ferroviário, Neto trabalhou em trechos de orla e transformou a Cidade de Plástico, em Periperi, em comunidade Guerreira Zeferina. Furdunço na Terra Mater Porto Seguro viveu ontem um dia no maior furdunço sobre o que pode eo que não pode no Réveillon. O juiz local, Rogério Barbosa de Sousa e Silva, revogou uma decisão que davaguaridaàde Rui Costa proibindo festas e impondo multa de até R$ 300 mil. E, na sua decisão, permitia festa para até 200 pessoas. A PGR recorreu, é claro, e ganhou. Até porque, com ou sem festa, Porto Seguro está apinhada de gente. Com festa, pior. Ao lado de Bruno Reis, o sucessor que ele apoiou, Neto inaugura um novo Centro de Educação Infantil (Cmei) em Plataforma, entrega uma praça em Periperi, inicia a reforma de moradiasem PraiaGrande, por meio do programa Morar Melhor, um dos prediletos dele. Em janeiro, começa vida nova. Ou melhor, bota o pé na estrada rumo a 2022. Vai viajar pelo interior a fim de orientar prefeitos amigos. E terá como companheiro Paulo Souto, ex-governador. As nuvens do futuro, a conferir. Em Conquista reza prevalece aliados próximos de Herzem Gusmão (MDB), prefeito reeleito de Vitória da Conquista, dizem que boa parcela da população vai dobrar o ano mais rezando do que festejando. A reza serápor Herzem, que está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, numa unidade semi-intensiva, mas sem previsão de alta. Ele, que tem 72 anos, testou positivo para a Covid19 e o quadro se agravou. Segundo o boletim, a situação é estável Prefeito nem governou e contas já estão rejeitadas Jairo Batista (PP), prefeito eleito de Valença, ainda vai tomar posse amanhã, mas, só pelos números que viu durante a transição, já prevê transtornos por conta das contas de 2021: -Só o quadro fixo de pessoal consome 52% da receita. O limite é de 45%. Isso quer dizer que eu nem peguei na caneta, mas já estou errado. Minhas contas serão rejeitadas. Pois é. Não só ele, como outros. Dois anos atrás o TCM até flexibilizou, tirando dos gastos com pessoal funcionários de programas mantidas com verbas repassadas pelos governos estadual e federal, mas mesmo assim muitas distorções permanecem que o gestor da vez leva a culpa sem ter. É um caso para o Congresso Nacional resolver. atarde.com.br/colunista/levivasconcelos colunalevi@gmail.com REGISTROS Imprensa e Covid Fábio Vilas-Boas,secretário da Saúde da Bahia, distribuiu meme de final de ano parabenizando a imprensa pelo papel desempenhado na pandemia. ‘E digo sem medo lado das máscaras e do oxigênio, a imprensa salvou milhares de vidas'. Já Bolsonaro se refere aos jornalistas como urubuzada. Inventário turístico Orlando Peixoto Filho, o Orlandinho (PT), perdeu na tentativa de reeleger-se prefeito de Cruz das Almas, o que seria o quarto mandato, mas despede-se com decência. Lançou segunda o Inventário Turístico, que dá tintim por tintim os atrativos da cidade. Efeito Covid19 Assustador o resultado do estudo da OceanÁsia: maisde 1,5 bilhão de máscaras foram parar nos oceanos durante a pandemia, algo como 4.680 a 6.240 toneladas. Com o detalhe: as de plástico levam 450 anos para se decompor. Correção O suplente de vereador que vaiassumiro mandato,junto com Palhinha (DEM), nas vagas de Kiki Bispo e Luiz Carlos, que vão ser secretários, é Alberto Braga (Republicanos) e não Albérico Fraga, como ontem publicamos. /Agência Abrange Divulgação Jairo: ‘Eu nem governei um dia e já estou condenado’ Levi Vasconcelos.