Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

PIAUÍ HOJE.COM/TERESINA
Data Veiculação: 29/10/2020 às 19h07

Alvaro Carneiro e seu médico do Sírio-Libanês Foto: Divulgação O jornalista piauiense Álvaro Luís Carneiro terá alta nesta sexta-feira (30), do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para onde foi levado no dia 9 deste mês, em estado grave por causa de complicações da Covid-19. Ele está curado e se recupera bem das sequelas da doença. Na tarde desta quinta-feira (29), ele foi surpreendido pelo médico que o atende, Roberto Kalil Filho, um dos mais importantes do país e que atualmente está como "garoto propaganda" da Justiça Eleitoral do Brasil para incentivar os eleitores comparecerem as urnas nas eleições de novembro. Durante a visita clínica, o médico entrou no quarto com um saxofone e convidou o paciente, que também é músico, a acompanhá-lo ao violão em duas canções: Michelle, de Lennon & McCartney e A Paz, de Gilberto Gil. Álvaro, que teve complicações extremamente graves causadas pela Covid19, foi internado em UTI de hospital em Teresina no final de setembro, mas teve o quadro severamente agravado nos primeiros dias de outubro por lesões nos rins, corações e pulmões. Com quadro ascendente de instabilidade e em coma foi removido para São Paulo. Ao sair da UTI do hospital paulistano há oito dias, depois de um mês mantido por tubos de ventilação mecânica e sem consciência, recebeu visita de sua esposa - a também jornalista Renée Marie, que foi acompanhá-lo no estágio de convalescença e reabilitação. Ele passou os dias anteriores recebendo os cuidados de duas sobrinhas (Ana Clara e Elis Mariana). Um vídeo da esposa Renée Marie chegando ao quarto emocionada e tocando a canção Como É Grande o meu Amor por Você, de Roberto Carlos & Erasmo Carlos, viralizou nas redes sociais de Teresina. O violão fora levado por Rener para que Álvaro Carneiro melhorasse a coordenação motora, também afetada pelo novo coronavírus. Em posse do violão, Álvaro começou a retribuir as visitas dos profissionais de saúde ao seu quarto lhes oferecendo canções acompanhadas ao instrumento. Isso fez da acomodação dele um lugar bastante comentado nas redes internas do próprio hospital que divulgava as dezenas de vídeos gravados por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fonoaudiólogos.... Já muito conhecido pelas execuções musicais, nesta quarta-feira (29) foi visitado por Kalil, dizendo: “chegou nosso dia de canções”. Ali mesmo, no apartamento do hospital, fizeram um improviso bastante festejado pelos assistentes do cardiologista que, além de trabalhar na direção do Hospital Instituto do Coração, fundou o Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, onde criou a residência médica em cardiologia. O momento ficou marcado na rotina do hospital e alguns profissionais da área de reabilitação admitiram que a estratégia do instrumento usada por Álvaro Carneiro é muito interessante para musicoterapia voltada a pacientes em reabilitação no tratamento pós-Covid.

GALILEU ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 29/10/2020 às 16h39

A pandemia do novo coronavírus mudou a forma como interagimos com as outras pessoas, o jeito que trabalhamos e fez com que repensássemos cada saída de casa. Agora, ela vai mudar nossa forma de votar. Para reduzir as chances de transmissão da Covid-19, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) elaborou um protocolo com importantes regras e sugestões que devem ser seguidas pelos cerca de 150 milhões de eleitores e voluntários que trabalharão nas zonas eleitorais. O material está disponível para consulta no site do órgão. No dia das eleições municipais, que ocorre em 15 de novembro, além das recomendações usuais como uso de máscara cobrindo nariz e boca o tempo todo, e uso de álcool gel antes e depois de votar, é recomendado que cada eleitor leve sua própria caneta (azul ou preta) para assinatura do livro de presença e evite estar com um acompanhante. Nas zonas eleitorais, o distanciamento físico mínimo obrigatório será de um metro. Será proibido comer ou beber dentro dos locais de votação. “O uso de máscara será obrigatório. O eleitor que utiliza transporte público para ir até o a zona eleitoral deve fazer todo o percurso com ela no rosto. “É importante se proteger como qualquer outro dia”, afirma Luiz Fernando Aranha, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein e consultor da instituição no projeto Consultoria Sanitária para a Segurança do Processo Eleitoral de 2020, que conta também com a participação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Hospital Sírio-Libanês. Outra novidade será em relação aos horários do pleito. O deste ano terá uma hora a mais, com início às 7h e término às 17h, sempre no horário local. Para eleitores com mais de 60 anos, o horário entre 7h e 10h será preferencial e a Consultoria Sanitária fará ações recomendando àqueles que não estão nesse grupo de não votarem nesse período. As regras serão mantidas em caso de segundo turno, previsto para 29 de novembro. Passo a passo do dia de votação ● Saia de casa de máscara; ● Evite aglomeração no caminho até o local de votação; ● Quando chegar vá direto para sua seção; ● Na fila de espera siga as indicações e mantenha um metro de distância; ● Após entrar na seção e mostrar seus documentos ao mesário, higienize as mãos e assine o caderno de votação. Use sua própria caneta. Caso tenha alguma dúvida na identificação, o mesário pedirá para o eleitor dar dois passos para trás e abaixar a máscara; ● Vá à cabine de votação e digite os números dos candidatos e higienize as mãos ao confirmar os votos e saia da seção; ● Não fique dentro da zona eleitoral, se precisar esperar alguém espere na rua. Cuidados durante a campanha Durante o período eleitoral, muitos militantes estão indo às ruas para fazer campanha para seus candidatos. Contudo, é importante ficar atento a algumas ações que podem colocar o pedestre e o apoiador em risco e como evitá-las: ● Use máscara o tempo todo; ● Evite distribuir panfletos; ● Prefira não participar de eventos com aglomeração; ● Em eventos de eventos corpo a corpo, procure observar se o local é amplo para prevenir de uma possível aglomeração. Mais informações: https://www.justicaeleitoral.jus.br/dicas-ao-eleitor/

UOL VIVA BEM/UOL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 29/10/2020 às 10h53

A pandemia do novo coronavírus mudou a forma como interagimos com as outras pessoas, o jeito que trabalhamos e fez com que repensássemos cada saída de casa. Agora, ela vai mudar nossa forma de votar. Para reduzir as chances de transmissão da covid-19, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) elaborou um protocolo com importantes regras e sugestões que devem ser seguidas pelos cerca de 150 milhões de eleitores e voluntários que trabalharão nas zonas eleitorais. O material está disponível para consulta no site do órgão. No dia das eleições municipais, que ocorre em 15 de novembro, além das recomendações usuais como uso de máscara cobrindo nariz e boca o tempo todo, e uso de álcool gel antes e depois de votar, é recomendado que cada eleitor leve sua própria caneta (azul ou preta) para assinatura do livro de presença e evite estar com um acompanhante. Nas zonas eleitorais, o distanciamento físico mínimo obrigatório será de um metro. Será proibido comer ou beber dentro dos locais de votação. "O uso de máscara será obrigatório. O eleitor que utiliza transporte público para ir até o a zona eleitoral deve fazer todo o percurso com ela no rosto. "É importante se proteger como qualquer outro dia", afirma Luiz Fernando Aranha, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein e consultor da instituição no projeto Consultoria Sanitária para a Segurança do Processo Eleitoral de 2020, que conta também com a participação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Hospital Sírio-Libanês. Outra novidade será em relação aos horários do pleito. O deste ano terá uma hora a mais, com início às 7h e término às 17h, sempre no horário local. Para eleitores com mais de 60 anos, o horário entre 7h e 10h será preferencial e a Consultoria Sanitária fará ações recomendando àqueles que não estão nesse grupo de não votarem nesse período. As regras serão mantidas em caso de segundo turno, previsto para 29 de novembro. Durante o período eleitoral, muitos militantes estão indo às ruas para fazer campanha para seus candidatos.

CNN NOVO DIA/CNN BRASIL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 29/10/2020 às 08h59

Na cnn rádio começa o liberdade de opinião nós começamos mais liberdade de opinião direto do rio de janeiro vamos conversar com o jornalista Sidney Rezende olá Sydney tudo bem colombo Excelsior bom dia eu uso o twitter Sidney desculpa não vê como você usa o twitter ou sem uso sem uso sem mas nunca passou a senha para ninguém não já passei a senha assim já passei a senha mas eu acho que isso não é recomendável e somente em momento de insegurança mas com a minha presença ali depois eu mudei a senha muito bem bom porque estou fazendo estas perguntas todas ao Sidney Rezende aqui uma das estrelas das redes sociais da cnn porque o ministro do meio ambiente Ricardo Salles apagou a conta dele no twitter ao se ver envolvido em uma tremenda confusão antes de desativar a conta o ministro negou que tenha sido o autor de uma ofensa ao presidente da câmara dos deputados rodrigo maia ele disse que apesar das diferenças esta é a o sistema desculpa esta é correto chamar de desculpa que mas essa é a justificativa apresentada pelo ministro Ricardo Salles vejam só fui avisado há pouco que alguém se utilizou indevidamente da minha conta no twitter para publicar comentários junto a conta do presidente da câmara dos deputados com quem apesar de diferenças de opinião sempre mantive relação cordial ele está se justificando a respeito de uma outra mensagem que nós vamos mostrar agora vejam só ontem à noite um post na conta oficial do ministro chamava rodrigo maia de em junho uma referência aquele personagem do seriado chaves a resposta de Sales fui referente àquela crítica que Maya fez no sábado passado quando disse que o ministro não satisfeito em destruir o meio ambiente agora resolveu destruir o próprio governo então Sidney tudo isso aconteceu de ontem à noite até hoje de manhã uma ofensa ao presidente da câmara dos deputados depois o ministro Ricardo Salles pede desculpas diz que alguém utilizou o login e senha dele indevidamente ele inclusive conversou por aplicativo de mensagens com a Brasília rodrigues e com o Igor Gadelha confirmou essa história disse que mandou pessoalmente uma mensagem um pedido de desculpas ao presidente da câmara dos deputados rodrigo maia e agora para evitar problema que alguém eventualmente continue utilizando a conta dele sem autorização ele resolveu deixar o twitter vai valer tudo isso que aconteceu em doze horas Sidnei colômbia eu fechei a cara aqui pelo seguinte é no hino é teatro não eu gosto de sorrir mas não tem graça isso é muito é muito sério isso se ele tivesse dito escrito o que estava atribuído a ele na conta até o dia de ontem não caberia ao presidente da república senão demiti-lo afastado sumariamente é uma falta de respeito com o presidente da câmara dos deputados ele é o ministro de estado o ministro reincidente seria reincidente né porque já fez daquela maneira de tratar o cooler agarramos general ramos de maneira completamente imprópria isto não é brincadeira isto é muito sério então o presente deveria afastá-lo disse o presidente tolera esse tipo de coisa isso vai cair na conta do presidente eu torcendo veemente aqui e procuro ser equilibrado neste comentário porque não é desta forma que ministros devem se não deve ser lidar e não deve de conviverem desta maneira é adiante dos seus próprios colegas em diante da nação o brasil precisa de respeito e seriedade que some num momento de crise e criar mais indisposições com o presidente da câmara dos deputados ou vice versa se apresenta à câmara agisse da mesma maneira é muito ruim no entanto ele diz que não fez isso que alguém fez e não disse foi um hacker por tanta conta dele não foi invadida por um auxiliar portanto é pertinente a sua pergunta atribuindo a menina se eu teria ou não passado uma senha porque é razoável perguntar bom então passou a senha para alguém promete ser um auxiliar se foi isto que aconteceu ministro tanques em pena Noronha distante diz que lá a internet não é tão boa se por isso aconteceu e tem que fazer o mesmo representa deveria fazer com ele afastar responsabilizar é enquadrar seu subordinado porque não é possível que algum subordinado dele de gradação que seja da mais simples para mais sofisticada acha que possa partir pra cima do presidente da câmara dos deputados porque isso tira energia isso tira tempo isso tira a concentração isso agride a liturgia do cargo desculpa subia que sorteou dois tons acima mas isso não é aceitável não tem graça nenhuma agora é preciso reforçar aqui que o ministro tem dito que não foi ele né que foi alguém que se utilizou da senha e do login da conta dele ministro Ricardo Salles no twitter isso eventualmente acontecem quando a gente usa um computador por exemplo pode ser que o computador é arquive memorize o login e a senha de uma conta Dilma social qualquer isso acontece às vezes no trabalho alguém deixa ali uma conta de facebook twitter instagram aberta e viu um colega e faz uma brincadeira qualquer neste episódio não foi uma brincadeira foi uma ofensa a algo muito mais grave mas ele está dizendo que não foi ele e já inclusive enviou um pedido de desculpas ao presidente da câmara dos deputados por outro lado também é necessário reconhecer que este tipo de manifestação tenha partido de quem partiu do próprio ministro de algum auxiliar ou de alguém que quis prejudicar o ministro agrada a um determinado grupo de apoio do presidente Jair Bolsonaro aquele grupo mais radical essa expressão utilizada hoje para ofender o presidente da câmara dos deputados numa referência ao peso dele inclusive algo muito desagradável porque zomba de uma característica física de alguém é esse mesmo apelido já foi utilizado por gente muito próxima ao presidente da república em outras ocasiões não é verdade colombo é tem pessoas que evidentemente gostam de que um apelido é acabe por prejudicar a credibilidade terceiro usou uma brincadeira na meio fora de hora e às vezes a desculpa resolve mas às vezes não é deixa eu chamar a atenção ou sua colombo e do choro da senhora para um detalhe que achei importante é em dois mil e dezoito a foi promulgada uma lei chamada lei de proteção de dados essa lei geral de proteção de dados é uma lei que tem muitos empresários que não estão atentos a ela muita gente não sabe direito o que significa esta lei essa lei significa que o cidadão do ponto vista pessoal ele é dono irresponsável dos teus dados eu não posso nem você fazer um cadastro numa loja e amanhã descobri que o meu cadastro é foi repassado para uma outra loja ou por um cal center ou para alguém utilizar os nossos dados que seja o nosso cpf que seja um telefone ou seja o endereço não os dados pertence à pessoa e a penalidades tanto para pessoas físicas como pessoas jurídicas quando w são utilizados de maneira indevida então neste caso específico do ministro além de tudo que eu já comentei liturgia do cargo seriedade controle pessoal é seriedade na administração do seu próprio dado que a sua senha né nós estamos aí é nitidamente e agora vou frisar que o ministro possa ter sido vítima assim de alguém que utilizou-se do seu canal de contato no twitter nasce portanto não foi ele foi uma outra pessoa esta pessoa ela está infringindo justamente os artigos da lei geral de proteção de dados estão crime gente isto é um crime não podemos achar que isso é uma coisa banal não se pode permitir alguém utilizar-se de dados de terceiros e achaques não tem consequências ainda mais ao nível do ministro de estado então é voltando ao ponto se perguntou se tem gente que gosta se viu coisa me faz parte do jogo político na mais sistematicamente é termos é o nível da política que deveria ser lá em cima é tratado como se fosse lá embaixo não é bom pro brasil não é bom o país não é bomba educação na bom para nós não faz bem como eu disse agora há pouquinho logo cedo por volta das sete horas da manhã Brasília rodrigues vigor Gadelha conversaram com o ministro do meio ambiente Ricardo Salles ele disse que não foi ele quem publicou essa mensagem que já tinha inclusive mandado pedindo desculpas por presidente da câmara rodrigo maia e agora chegou uma nota do ministério do meio ambiente da assessoria do ministro confirmando que ele encaminhou mensagem diretamente ao presidente da câmara rodrigo maia explicando que não publicou tal mensagem e que vai apurar a utilização indevida de sua conta diz a nota do ministério o volume só pra ficar claro o meu posicionamento que fale pouco aqui porque sou uma pessoa dando uma opinião mais é me satisfaz essa resposta do ministro eu acho é não como forma conclusiva mas me satisfaz quando diz não fui eu pedi desculpas e vou apurar agora compete-nos aguardar e compete a ele evidentemente qual será afinal de contas o resultado dessa investigação que seja rápida é isso aí vamos em frente então Sidney com outro assunto importante o presidente Jair Bolsonaro revogou aquele decreto que autorizava a estudos para concessão de unidades básicas de saúde a iniciativa privada Bolsonaro disse que a intenção era permitir que pacientes do sus pudessem ser atendidos em hospitais particulares nas cidades em que os postos de saúde não tivessem condição de atender à demanda vamos ouvir o que ele disse não existe libertação do sul se fizermos o mesmo ano passado tocante à creche entre ubs unidade paz e saúde a culpa são mais de quatro mil que eu estou inacabados não tem dinheiro vão deixar de ter a lá estamos oferecendo a gostaria de oferecer a iniciativa privada e qualquer atendimento arisco Teresinha privada seria ressarcido pela união contra só falou que era pra casar eu revoguei o decreto de Johan Jacob se tiver um entendimento daquilo que da liberdade que a fazer talvez o reddit tudo a criança enquanto não acontecer vão ter mais de quatro mil unidades abandonada jogada que atendeu uma pessoa gasta Sydney como você avalia a primeira publicação do decreto e depois a desistência do decreto em pouco tempo a partir da repercussão que o assunto tomou mal começando pelo final apesar de ter bem presente fez muito bem agiu até com uma certa rapidez olha é difícil ter ela acertou em todas as decisões de alguém que está no alto dessa função não representa a república e no momento que viu que houve essa interpretação que pelo visto ele discorda porque ele só não foi privatização não é era uma ideia para criar uma viabilização de seria de se remeter dinheiro para empresas que pudessem privadas atender previsão é clínicas e hospitais que pudessem atender já que os serviços do sus não está com esta condição e seria mais caro mas depois se enviar dinheiro para resolver esse problema então esta era a ideia tão propósito inicial seria esse mas não foi um sinal que foi recebido por toda a sociedade ontem a grita foi muito grande e o presidente ao dar um passo atrás acho que é um gesto importante é o gesto de tolerância é um gesto que contribui para a pacificação nesse tipo de assunto porque não se pode discutir se pode discutir mas privatizar o sus é um grande erro para nós quando eu já disse aqui em outras ocasiões o mundo todo aplaude o brasil por ter esse sistema ainda não funcionando corretamente em todo o país mas é um passo muito grande que nos ajudou no combate e no espírito da pandemia ao coronavírus é muito importante surge tem um sistema único que atenda o povo é uma discussão inclusive que está na ordem do dia nos estados unidos a campanha presidencial porque o Obama quer não chega nem aos pés do nosso sus mas o decreto ele não falava em privatizar o sus não é Sidney não é porque não falam da gente fala a palavra privatizar nós temos de entender que a privatização significa a venda tão seria imaginar o inimaginável que o governo pegaria um posto de saúde e venderia ao hospital Albert Einstein por exemplo deixaria de ter qualquer ingerência sobre aquele posto de saúde não é não se trata de em sul decreto ele e ele é propõe algo que acontece há muito tempo em São Paulo por exemplo estava dando esse exemplo agora porque aqui em São Paulo a hospitais particulares os melhores do país aliás onde muitos políticos vem se tratar como sírio libanês por exemplo o Albert Einstein onde o presidente foi operado depois do atentado na campanha esses dois hospitais administram hospitais e postos de saúde ficam na periferia da cidade mas o atendimento é via sistema único de saúde tão a prefeitura ou governo do estado pagam uma quantia determinada fixa por mês e aquela organização social tem de apresentar o serviço vendido à prefeitura ou ao governo do estado então são mil exames por mês tantas internações tantas cirurgias tantos atendimentos em prontos-socorros estão a concessão do serviço o que é diferente de uma privatização é importante o seu alerta importante seu alerta mas repare como o a pandemia nos trouxe é com relação ao sul um elemento muito importante muita gente não tinha a dimensão da importância a capilaridade o sistema único de saúde permite que alguém numa população ribeirinha por exemplo no estado como o amazonas mantenha um serviço ali a sua disposição ainda que com alguma distância devido ao aspecto de ordem regional territorial gigantesco bem comparação alguém que atendido no acre no rio de janeiro ou em São Paulo o sistema o nome já diz um único de saúde tem esta importância de fato não era uma privatização ali no decreto era a possibilidade de se fornecer em parcerias com a iniciativa privada ou até só a iniciativa privada um atendimento pelo sus por acaso não pudesse atender e algumas regiões mas que quando se o presidente fez certo ele tem certo pra dar uma arrumada um freio de mão na massa discutiu um pouco melhor em se estudar uma maneira de melhor prestar serviços mais adiante você tem razão não dizia textualmente privatização mas é quase como um passo rumo a possibilidade e iniciativa privada ter uma ação dentro do sistema único de saúde agora sacudiu o importante é nós sabemos um pouco mais sobre o sus o próprio ministro fazê-lo não sabia ele de insônia tâmara caserna eu amei a minha vida militar é muito diferente da vida civil eu não tinha conhecimento do sus agora tem então ele próprio e a sociedade é bom que saibam que o sus é muito importante porque permite é de uma forma mais barata do que se deveria é do que seria se fosse tudo privado que a pessoa mais simplesinhas posse no posto saúde posso no hospital e ser atendida ainda que com problemas é melhor do que dizer assim não temos shows e você vai dar o seu jeito pra poder pagar o seu tratamento saúde seria muito pior seguimos falando de saúde que liberdade de opinião como Sidney Rezende a possibilidade de uma segunda onda de casos de Ovídio dezenove nos estados unidos na Europa fez com que os mercados no mundo todo derretessem ontem em países como França e Alemanha já voltaram a adotar medidas restritivas o cenário também nos afetou por aqui a bolsa de valores de São Paulo caiu mais de quatro por cento o dólar disparou fechou a quarta-feira cotado a cinco reais e setenta e seis centavos Sidney mas você avalia esta reação mundial do mercado financeiro e como é que nós devemos tentar na medida do possível nos blindar dessa instabilidade gerada entre outras coisas mas principalmente por causa do temor da segunda onda da epidemia vou logo quem tem dinheiro quem administra o dinheiro não brinca em serviço então o mercado ele acaba antecipando uns rumores as pendências que pode acontecer amanhã depois de amanhã daqui a dois meses três meses até daqui a um ano tão o mercado precifica como a gente fala né alguma coisa antes que pode acontecer depois a reação dos mercados ela é legítima e por um raciocínio ou e uma equação muito simples né se você tem uma segunda onda num continente muito importante como Europa onde poderá quem sabe se repetir isso em outros lugares do mundo você tem um passo atrás na economia o comércio ele não funciona normalmente como conhecemos a indústria não produz muita coisa porque não tem uma pujante relação de negócios é o os governos vão socorrer com o dinheiro que tem as famílias e as empresas mais necessitadas e não vou investir em infraestrutura não vai não vou investir é para que a economia se movimente as empresas vão vender menos e aí você vai ter menos dinheiro no mercado para um quadro de normalidade financeira e econômica consequentemente faz com que todo mundo diga o seguinte puxa vida preferimos que essa pandemia passasse rápido pra gente voltar esteja um novo normal ou a um normalmente mais adiante este empurra a perspectiva para a frente e aí as bolsas caem porque você começa a dizer pra onde vai o dinheiro por que existirá daqui a pouco e quando de que forma isso vai acontecer este ano é um ano perdido mas será que teremos um primeiro semestre perdido também no ano que vem mesmo que exista vacina lá e aqui ela não é certeza que economia vai rapidamente recuperar este é o problema sabe como tom quem tem dinheiro diz opa vou parar eu não vou investir em nada novo nesse momento portanto eu não vou agitar o mercado financeiro é quem administra falou fala assim de forma bem se são não tenho aqui o cliente é que queira vender o mac alguém vai comprar e vai comprar quando você não sabe se está ainda no fundo do poço esse problema mas estamos caminhando pro fim aqui mas tem um outro assunto importante eu não quero deixar de tratar com Sidney liberdade de opinião ex porta voz do governo o general Otávio rego barros escreveu um artigo pro correio brasiliense em que fala sobre governantes que não aceitam várias contestações que só querem palmas ele escreveu que o poder inebria corrompe e destrói nas redes sociais muita gente entendeu o artigo como uma crítica a Jair Bolsonaro mesmo que no artigo o nome do presidente não seja citado eu lembro que Otávio do rego barros foi exonerado do cargo agora no último dia sete de outubro é quando se avalia esse artigo escrito pelo ex porta-voz do ponto de vista pessoal general é um homem muito tranquilo muito calmo ele é querido e respeitado é ele uma pessoa é bom defende diálogo é tentou implementar aí vai do ponto vista profissional com enquanto estava na função de porta-voz um modelo que apresenta a república não gostou ou não se adequou ela quer modelo de reuniões das nove da manhã é aí que o porta-voz se pronunciava um pouco parecido com o modelo norte americano que a gente vê por aí a gente vê muito roupas impróprio mas vê pouco ou uma coisa acontece todos os dias que a reunião do seu staff de comunicação com a imprensa nem que em que a o secretário de imprensa ele pergunta para os postos é que perguntas que ele tem ele tenta de alguma maneira atender a todos é ele encaminha a agenda ele traz dados informações e criou o relacionamento era isso que o jornal eu queria manter o fazer ele não conseguiu no poder central é e ele é pelo que ele diz pelo artigo ele diz que as autoridades ali aparentemente está servindo o presidente Bolsonaro é preferia os bajuladores naquele em quem elogiava e não a quem a trazia de fato a realidade para a partir disso solucionar problemas e ele escreve um artigo que transmite magoa pessoal gente vê nitidamente que a mágoa não significa que o conteúdo não seja válido para reflexão de fato poder inebria o poder cria uma outra relação muitas amizades são trituradas relações pessoais também em casa inclusive são destruídas porque estes homens públicos aí colombo não tem hora tem hora de manhã de tarde e noite presidente disser que comeu uma mão hoje de manhã com meu pai tanta gente elogiando a presidente criticando ou queremos abolir compra é quem pagou então é este nível não são pessoas de alta exposição agora o artigo é dilacerante ele é muito forte ele inclusive termina o artigo dizendo assim assumindo o papel de escravo romano deverá sussurrar nos ouvidos dos políticos o povo né que merece o seu voto lembra-te da próxima eleição então é uma sinalização e por fim para fechar esse comentário colombo é transmite um pouco o sentimento de parte dos militares que não se sentem satisfeitos com um estilo do atual governo uma parte apoia outra não aí compete ao comandante pujol na ter equilíbrio édson pujol édson leal pujol comandante do exército é separar o joio do trigo governo uma coisa e a corporação e a instituição é outra e o exército precisa ser preservado com a instituição de estado agora são do governo vai passa é assim mesmo gangorra né hoje é mais tenso a mãe menos tenso e esperamos que eles tenham paciência tranquilidade que governe bem vai o Sidney até mais aqui na nossa programação peço desculpas pela minha veemência bill colombo ela é humana mas ela também é construtiva que às vezes a gente precisa ter um pouco mais seriedade no tratamento a imprensa também não é a todos governados com a imprensa a imprensa com os governantes do brasil vantagem perde muito tempo com coisas que são menores perdão a aqueles que se ofenderam ai não é meu intuito um abraço longo demais as opiniões emitidas pelos comentaristas do quadro não refletem necessariamente a posição da cnn.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 29/10/2020 às 02h35

Você pode ouvir O Assunto no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. Enquanto autoridades falam e prometem muito, a população espera para ser imunizada contra um vírus que já contaminou 44 milhões de pessoas e matou mais de 1,1 milhão no mundo. Mas faz sentido debater vacinação compulsória? E, aliás, o que quer dizer vacina obrigatória? O debate em torno da questão existe ou está fora de lugar? Para responder estas e outras perguntas, Renata Lo Prete ouve Gonzalo Vecina e Daniel Wang. Fundador da Anvisa, ex-secretário Nacional de Vigilância Sanitária e professor de Saúde Pública da USP, Vecina responde sobre a obrigatoriedade para adultos e fala o que o governo deveria estar fazendo agora, no lugar de discutir esta questão. Wang, professor de Direito da FGV de São Paulo e membro do Comitê de Bioética do Hospital Sírio-Libanês, explica o que diz a lei e até que ponto obrigar alguém a se vacinar viola os direitos individuais. O que você precisa saber: O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Gessyca Rocha, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski, Renata Bitar, Vitor Muniz e Danniel Costa. Apresentação: Renata Lo Prete O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.