Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

RÁDIO BANDEIRANTES 840 AM/SÃO PAULO | O Pulo do Gato
Data Veiculação: 28/01/2021 às 06h55

E cinco minutos, Celso Pitta particular de referência São Paulo inicia contratação de novos médicos para dar conta do coronavírus as informações com repórter Bruno Barbosa, bom dia Paraná, Pedro Silva. Vânia bom dia, bom dia para todos ouvintes aqui do pulo do gato, o sírio-libanês vai contratar mais de quinhentos profissionais da área da saúde por causa do aumento de pacientes com couve de dezenove, oitenta e seis por cento das vagas são para São Paulo, unidade sede do hospital que atualmente está com noventa por cento de ocupação da UTI desde a primeira semana de Janeiro médicos precisam utilizar leitos estas para dar conta do atendimento. Segundo o gerente médico do pronto atendimento do Círio, a taxa, apesar de variável está muito elevada em comparação com o início da pandemia o perfil dos pacientes também mudou, explica Christian amor e nada. A fim de que temos sentido agora, ele foi mente assim, quando os mais jovens do que o do início da pandemia além de isso, a gente tem que considerar que, em média, ele, isso ou hospitais no mundo. E os pacientes com Covid19 precisam ficar em torno de terça catorze dias internados e portanto, é a gente ainda estava no período de alta demanda dos serviços de internação ainda impactado por essa lotação que a gente precisa que o movimento que a gente percebeu nesse começo de ano. Apesar do aumento do número de casos em jovens os pacientes idosos continuam sendo os que lideram a ocupação de hotéis. Todas ficarão abertas até o preenchimento e aumento no quadro de funcionários, Pedro Silvânia

CORREIO BRAZILIENSE/BRASÍLIA | Outros
Data Veiculação: 28/01/2021 às 03h00

Saúdedo DF a caminho da 2a etapada vacina Até amanhã, 90% do público-alvo da fase inicialda campanha contra a covid-19 deverá estar imunizado. Estão sendo atendidos profissionais da área de saúde, idoso sem asilos e indígenas. Mais de 33,3 mil brasilienses já foram beneficiados. A expectativa é de que, em 15 dias, mais doses cheguem à capital e alcancemo segundo grupo, com prioridade para pessoas com mais de 80 anos. PÁGINA 15 Primeira etapa perto do fim Governo do Distrito FederaL espera que mais de 90% dos profissionais da saúde; cuidadores, idosos e deficientes em instituições de acolhimento; e indígenas recebam a primeira dose dos imunizaentes até domingo. Ao todo, 33.317 pessoas foram vacinadas com o processo de vacinação contra a covid-19 avançando no Distrito Federal, a Secretaria de Saúde (SES/DF) espera que, até o fim de janeiro, mais de 90% dos profissionais de saúde, tanto da rede pública quanto do particular, tenham recebido a primeira dose do imunizante contra a doença. A pasta quer priorizar a categoria para não perder capacidade de resposta e atendimento ao novo coronavírus, que continua circulando na capital federal. Indígenas aldeados, idosos e pessoas com deficiência acolhidos devem ter a primeira etapa da vacinação encerrada amanhã. Enquanto isso, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investiga possíveis fraudes no processo de vacinação. Até o momento, o DF recebeu 125,1 mil doses da CoronaVac — imunizante produzido, no Brasil, pelo Instituto Butantã em parceria com a farmaceuta chinesa Sinovac — e 41,5 mil da Oxford/AstraZeneca, importadas da índia. De acordo com o secretário adjunto de Assistência à Saúde substituto da SES, Alexandre Garcia, só não serão imunizados 100% dos profissionais da categoria pois há uma parcela que não poderá receber a vacina. “É o caso de grávidas e de quem não queira tomar a vacina. Por isso, não estabelecemos a meta de vacinar 100% dos servidores”, diz. Garcia reforça a importância da vacinação. “A Saúde trabalha e funciona em equipe. Por isso, é preciso vacinar médicos, enfermeiros, pessoal da limpeza, do administrativo e por aí em diante. Precisamos de todos para que as unidades de saúde funcionem plenamente", alerta. Além dos profissionais de saúde, idosos acima dos 60 anos que estão em instituição de acolhimento ou asilos e pessoas com mais de 18 anos com deficiência física que vivem nessa mesma condição, bem como seus cuidadores; e a população indígena são prioridades no Plano Distrital de Vacinação. A expectativa da pasta é de que a aplicação do imunizante nessa parcela da população se encerre nesta sexta-feira. O Governo do Distrito Federal (GDF) espera receber mais doses em até 15 dias para, então, ampliar a vacinação aos demais grupos previstos na campanha. Segundo o plano, os próximos são os idosos acima de 80 anos. “A medida que fomos recebendo as doses, vamos abaixando a idade do grupo prioritário. Depois de 80, vamos imunizar os idosos acima de 75 anos e assim seguimos”, detalha Alexandre Garcia. Também há uma expectativa de que os professores das redes pública e particular comecem a ser vacinados em março, a fim de se ter um nível de segurança maior, visto que o ano letivo de 2021 começa no dia 8 de março. Entretanto, a pasta não divulgou uma data certa para o início da imunização dos docentes nem quantas doses estarão disponíveis. Apesar da divisão em prioridades, o secretário adjunto garante que todos os moradores do DF serão vacinados, cada um no seu tempo. “Acredito que, em algum momento, teremos uma quantidade segura de vacinas no mercado. Por isso, peço para as pessoas ficarem tranquilas, a vacina vai chegar a todos. Só não conseguimos estabelecer datas concretas pois dependemos dos repasses do Ministério da Saúde”, completa Garcia. Até lá, ele reforça: é preciso continuar seguindo os protocolos de * segurança sanitária. “O vírus ainda está em circulação, então, até que tenha a primeira fase, pessoas que não faziam parte do grupo prioritário teriam recebido a primeira dose. De acordo com ofício encaminhado pela Procuradoria dos Direitos do Cidadão à Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) do MPDFT, pelo menos 10 unidades de saúde foram citadas nas denúncias. São elas: os hospitais regionais de Taguatinga, Ceilândia, Sobradinho, Guará e Santa Maria, o Hospital de Base, Hospital Universitário de Brasília (HUB), Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB), Hospital das Clínicas, Pronto-Socorro de Fraturas de Ceilândia e a Diretoria Regional de Atenção Primária à Saúde (Diraps)/Superintendência da Região de Saúde Oeste. Ainda segundo o ofício a que o Correio teve acesso, a Prosus possui atribuição legal para oferecer eventuais denúncias caso sejam identificadas condutas ilícitas ao longo da execução da vacinação no DF. Segundo o promotor da Prosus, Cleyton Germano, caso as irregularidades sejam confirmadas, os envolvidos podem responder por peculato, no âmbito criminal, e por improbidade administrativa, no âmbito cível. “O que podemos dizer, no momento, é que as investigações estão em curso, e a Prosus acompanha de perto as visitações da força-tarefa”, resume. » Palavra de especialista “Temos que confiar no imunizante” Na área da saúde, é duplamente importante que as pessoas se vacinem, pois, quando algum profissional fica doente, ele deixa de prestar assistência à comunidade. E, se muitos servidores forem atingidos, pode levar a um colapso no atendimento e elevar a mortalidade entre os pacientes, sendo eles de covid-19 ou não. Além disso, os profissionais de saúde atendem pessoas já » Imunização no DF Região de saúde Central Centro-Sul Norte Oeste Sudoeste Sul Leste Total doentes com outras enfermidades. Se o servidor estiver infectado e assintomático, ele pode transmitir para estes pacientes e agravar o quadro de muitos. Outro ponto importante para se levar em conta é que esta é uma das classes mais expostas aos riscos da covid-19, o que é um bom motivo para que as pessoas queiram se vacinar. Me choca que existam profissionais de saúde que op- Vacinas aplicadas 8.851 5.342 2.923 4.347 5.533 4.201 2.120 33.317 »1.052 doentes em 24h Nas últimas 24 horas, o Distrito FederaL registrou 1.052 infecções e três óbitos pelo novo coronavírus. No total, a capital acumula273.427 casos e 4.508 mortes pela covid-19. Ceilândia segue como a região com mais ocorrências, são 30.566. Plano Piloto (25.173) e Taguatinga (22.083) estão em seguida. Os recuperados somam 262.643. A média móvel de casos registrada foi de 989. Vacinas distribuídas 24.380 5.960 7.770 10.430 17.290 8.520 4.580 78.930 Fonte: Secretaria de Saúde nos vacinado uma boa parte da população, é necessário que as pessoas colaborem e continuem usando máscaras, álcool em gel e com distanciamento social”, ressalta AIexandre. Fiscalização 3 A força-tarefa de combate à pandemia do MPDFT deve realizar, na manhã de hoje, mais visitas aos locais de vacinação para acompanhar o processo e verificar se há possíveis irregularidades. Desde o início da imunização no DF, o Ministério Público tem recebido diversas denúncias de que, durante tem por não serem imunizados. Não faz sentido. A vacina já foi aplicada e testada em diversas pessoas, e não há nenhum relato de eventos adversos graves. Temos que confiar no imunizante, só assim acabaremos com esta crise sanitária Alexandre Cunha, Infectologista do Hospital Sírio-Libanês Vacina no Base: OAB não encontra irregularidades O processo de vacinação no Hospital de Base, gerido pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), foi alvo de denúncias. Porém, em visita à unidade na tarde de ontem, a Comissão de Direito à Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil seccional do DF (OAB-DF) não constatou nenhuma irregularidade na aplicação das vacinas por parte do Iges-DF. Apesar disso, de acordo com a presidente da comissão, Alexandra Moreschi, a OAB-DF cobrou mais transparência no processo. “Estamos recebendo e apurando denúncias quanto à vacinação no DF. É um papel fiscalizador que exercemos pela OAB/DF. Ao mesmo tempo, estamos visando uma parceria com o GDF para que haja transparência de dados na vacinação. É um direito da população. Campanha eficiente de vacinação é o que pode salvar mais vidas e nos trazer uma rotina mais tranquila nos dias que virão”, detalha Moreschi. O controlador interno do Iges-DF, Bruno Lago, informou que, até ontem, não foram recebidas denúncias de “fura-fila” pelo órgão. “Se houver, abriremos processo de investigação, que pode resultar em demissão por justa causa", afirma. Por meio de nota oficial, o instituto esclareceu que “as instituições que acompanham o processo de vacinação contra a covid-19 nas unidades do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) não confirmaram denúncias de irregularidade — como casos de “fura-filas”. A checagem foi comprovada, nessa terça-feira, pelos órgãos de controle externo que investigam supostas violações às normas estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde”. Minervino J ún ior/CB/D.A Press Segundo a Secretaria de Saúde, a vacinação dos indígenas deve ser concluída amanhã. Idosos com mais de 80 anos serão os próximos a receberam as doses »SAMARA SCHWINGEL