Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

EXPRESSO CNN/CNN BRASIL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 19h51

A pandemia do novo coronavírus porque é muito curioso é o seguinte a um novo tipo de teste promete facilitar o diagnóstico da covid19 ele pode ser feito em casa mesmo só com a saliva que conta os detalhes pra gente a repórter Isabela faria que tem mais detalhes que precisam desse exame Isabela boa noite boa noite Monalisa boa noite a todos que nos acompanham a eficácia do exame é de oitenta por cento que inclusive se assemelha bastante a eficácia do rt-pcr nike aquele perto que a gente ps como padrão ouro mas esse exame então que foi disponibilizado a partir de hoje para quem mora aqui na capital paulista e também na região metropolitana custa cento e sessenta e nove reais e os resultados ficam prontos em vinte e quatro horas mas então como ele funciona uma vez que você compra esse exame ele você recebe um kit na sua casa e você mesmo faz uma coleta da sua amostra de saliva através de um tubo de plástico logo depois este kit volta pro laboratório tem as análises lake são feitas e os resultados saem em vinte e quatro horas inclusive via online o cliente pode acessar seus resultados pela internet esse exame ele utiliza um método rt lamp é fruto de uma parceria do laboratório bem delíquios como hospital sírio libanês e eles possuem as duas entidades a capacidade de analisar mais de cento e dez mil testes por dia e segundo ainda as entidades é um teste muito mais prático do que o rt pcr porque ele não precisa de uma amostra nasofaringe canela gente não preciso usar o cotonete para coletar alguma fonte de informação para o teste ele usa somente a saliva o que é muito mais confortável pra quem vai fazer o teste além disso é muito mais acessível são cento e sessenta e nove reais quando rt-pcr pare na faixa de trezentos e cinquenta há quatrocentos e cinquenta reais mas é claro a as entidades sempre agora tão ressaltando se você for comprar o teste não pode se descuidar dos nossos hábitos diários que a gente encontra um novo coronavírus que ao uso de máscaras e também à prática de distanciamento social promovia então um pouquinho mais sobre esse teste com si ou da empresa ele vai explicar por que é que a saliva então foi escolhida para ser essa amostra para o exame vamos ouvir o usineiro sai muito rápido ele é simples escolher porque tenho muita dificuldade de colher o teste de suábia aquele cotonete e cumprido no nariz então esse é um teste de saliva pessoa faz auto coleta cospe no potinho isso é surfista já tá mais do que comprovado que saliva tem e quantidades comparáveis de vírus que as outras secreções é navais mas o Corinthians tem um trabalho muito importante na principal revista de medicina do mundo que é o new england journal of medicine que mostrou que saliva tem o mesmo poder pra detecção que a secreção nasofaringe.

REPÓRTER BRASIL NOITE/TV BRASIL/BRASÍLIA
Data Veiculação: 27/10/2020 às 19h10

Um laboratório privado lança teste mais barato para detectar a covid19 o exame pode ser feito de casa e fica pronto em 24 horas da capital paulista, o repórter Fábio Gondim tem ao vivo as informações para o Boa noite. A gente fez essa boa noite a todos que nos acompanham este novo exame foi desenvolvido primeiramente para uso em empresas e hospitais e vai ser disponibilizada ao público ao público nos próximos dias. Ele detecta o vírus na fase ativa e amostra de saliva pode ser colhida pela própria pessoa como você mesmo disse em casa por meio de um Kite comprado pela internet. O teste se chama meu DNA, convite. E custa 169 reais mais barato que os testes convencionais que custam mais de 200 reais, foi desenvolvido pelo laboratório min deles, em parceria com o hospital sírio-libanês estará disponível a partir do mês que vem inicialmente para a cidade de São Paulo e alguns outros municípios da região metropolitana da capital paulista. O método do exame é o mesmo desenvolvido por pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, que também deve subir para a igreja do em breve. Vale lembrar que o sistema único de Saúde SUS. A gente tem um pequeno produtor é pequeno problema no áudio vamos continuar.

CNN 360/CNN BRASIL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 15h54

Feito através da saliva a repórter Isabela faria tá acompanhando vai explicar melhor pra gente e tabela qualquer percentual de eficácia do resultado dá pra gente comparar por exemplo com o exame pcr swabi né que usa uma espécie de cotonete ali no nariz e na boca é considerado hoje o padrão ouro dá para comparar sim roberto boa tarde pra você boa tarde a todos que nos acompanham o segundo a empresa então que fabrica esse novo tipo de exame a sensibilidade ou seja a porcentagem dos positivos detectados nesse exame é de oitenta por cento ou seja muito semelhante ao exame de r b pcr mas esse novo tipo de teste ele está disponível então a partir de hoje para a cidade de são paulo e também região metropolitana por cento e sessenta e nove reais o que acaba então sendo mais acessível inclusive do que o rt-pcr mas como ele funciona então uma vez que você compra esse teste você recebe um kit na sua casa e você mesmo colhe a sua amostra de saliva você deposita um pouco dela dentro de um tubo depois esse que este vai direto para o laboratório e aí sim dali vinte e quatro horas os resultados saem inclusive pela internet o cliente tem acesso aos resultados via on-line essa é uma parceria na esse peste do método rt lamp é fruto de uma parceria do laboratório nem delíquios como hospital sírio libanês eles têm capacidade de testar mais de cento e dez mil pessoas por dia segundo a empresa é um método mais prático até digamos confortável né porque como você disso rt-pcr usa o cotonete usa uma amostra nasofaringe indica que pode ser um pouquinho atrapalhada por algumas pessoas pode causar algum desconforto já esse exame não ele de fato é confortável porque utiliza somente a saliva e também tem o fato da acessibilidade na enquanto rt-pcr custa entre trezentos e sessenta e quatrocentos e cinquenta reais este teste novo custa mais ou menos cento e sessenta e nove reais mas a empresa disse claro se você for comprar esse teste você não pode deixar de se cuidar em relação ao novo coronavírus com todos os hábitos que a gente tem hoje em dia a usar máscara e também praticar o distanciamento social citou promover mais um pouquinho sobre estratégia e porque que a saliva então foi escolhida como amostra para este exame vamos ver o island sai muito rápido ele é simples de colher porque tem muita dificuldade de colher o teste de suábia aquele cotonete cumprido no nariz então esse é um teste de saliva pessoal faz auto coleta cospe num potinho e isso é suficiente já está mais do que comprovado que saliva tem e quantidades comparáveis de vírus que as outras secreções é navais nasofaringe os na eu tenho um trabalho muito importante na principal revista de medicina do mundo que é o new england journal of medicine que mostrou que saliva tem o mesmo poder pra detecção que a secreção nasofaringe mais uma opção de teste portanto com a saliva que foi desenvolvido nos últimos meses aqui no brasil e em outras regiões do mundo também até porque tem muita gente voltando a trabalhar neste momento pode precisar testar várias vezes tão fica essa opção também vamos seguir falando sobre a doença porque um estudo britânico feito com milhares de pessoas.

VISÃO CNN/CNN BRASIL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 14h08

De teste e promete facilitar o diagnóstico da Covid19 por meio da análise da saliva a repórter Isabela faria explica pra gente agora como vai funcionar esse teste e qual que a eficácia dele né Isabela que é o mais importante botaste pra você boa tarde Evandro boa tarde a todos que nos acompanham é de fato mais importante e segundo essa empresa a sensibilidade dele ou seja a porcentagem de positivos detectados do novo coronavírus é de oitenta por cento que se assemelha bastante a porcentagem do exame que a gente conhece como o rt-pcr mas esse novo teste que está disponível a partir de hoje para a cidade de São Paulo e também região metropolitana custa cento e sessenta e nove reais e o resultado sai em vinte e quatro horas mas então como funciona você compra esse teste esse exame você recebe um kit na sua casa um kit para você mesmo colher a sua amostra de saliva você tem que depositar sua saliva em um tubo logo depois um coletor vai até sua casa pega o kit e aí sim volta para o laboratório para analisar essa amostra de saliva esse teste usa como método o rt lang pequeno porque é fruto de uma parceria do laboratório nem berliques perdão como hospital sírio libanês eles têm capacidade para realizar a testagem na de cento e dez mil análises por dia e é um método muito mais prático é muito mais acessível que o rt-pcr a empresa diz que é muito mais prático porque não tem uma necessidade de coletar uma amostra nasofaringe que não têm aquela necessidade de colocar o cotonete lá no fundo da garganta é muito mais confortável e também muito mais acessível o teste do rt-pcr custa normalmente ai entre trezentos e cinquenta e quatrocentos e cinquenta reais mais claro a empresa disse que há um método novo prático mais acessível mais nunca deve vir desacompanhado dos cuidados básicos que a gente tem contra a convide dezenove no dia a dia né seja ao uso de máscaras ou a prática do distanciamento social vamos ouvir então um pouquinho mais sobre esse teste e porque que a saliva foi então escolhida como amostra para esse exame vamos over use não me sai muito rápido ele é simples escolher porque tem muita dificuldade de colher o teste de suábia aquele cotonete cumprido no nariz então esse é um teste de saliva que só faz auto coleta cospe num potinho e isso é suficiente já tá mais do que comprovado que saliva tem e quantidades comparáveis de vírus que as outras secreções é navais nasofaringe tem um trabalho muito importante na principal revista de medicina do mundo que é o new england journal of medicine que mostrou que saliva tem o mesmo poder para detecção que a secreção nasofaringe.

FOLHA DE S.PAULO ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 13h00

Diagnosticado há quase um ano com um câncer na cárdia, localizado na transição entre o estômago e o esôfago, o prefeito Bruno Covas (PSDB) está com a doença controlada. Ele segue com o tratamento imunoterápico e não há previsão de término. As afirmações são do oncologista Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, que acompanha Covas desde o início do diagnóstico, em 28 de outubro de 2019. Além dele, integram a equipe que o assiste no Hospital Sírio-Libanês os médicos David Uip, Roberto Kalil Filho e Artur Katz, todos do Hospital Sírio-Libanês. No último dia 14, Covas, que está em campanha para a reeleição, fez a 12ª aplicação de imunoterapia. “Eu examinei ele de ponta-cabeça. Está clinicamente ótimo”, afirma Pfiffer. Embora a literatura médica aponte um prognóstico ruim para a doença, o tratamento avançou muito nos últimos anos. No caso de Covas, além do tumor na cárdia, foram detectadas lesões no fígado e nos linfonodos ao lado do estômago. Entre outubro e fevereiro último, o prefeito fez oito sessões de quimioterapia. As lesões cancerígenas regrediram, mas não desapareceram. Desde fevereiro, ele passou a fazer uso da imunoterapia. O tratamento é inovador e usa anticorpos monoclonais para estimular o sistema imunológico. As drogas não visam atacar as células do tumor, como na quimioterapia convencional, mas sim estimular as células de defesa do organismo para que elas combatam a doença. As aplicações duram cerca de 30 minutos e ocorrem a cada três semanas. "Uma outra vantagem é que tem menos efeito colateral do que a quimioterapia. Depois que a gente mudou para a imunoterapia, ele está muito melhor clinicamente, mais bem-disposto. É um cara jovem, forte." A cada três ciclos de imunoterapia, dois meses aproximadamente, Covas faz exames laboratoriais e de imagem (endoscopia, ressonância magnética e PET/Scan). “Eles têm mostrado que a doença está muito bem controlada”, diz Pfiffer. Segundo o oncologista, não há um prazo para a duração das aplicações. “É um tratamento promissor. Para essa doença [do prefeito], começamos [no Sírio] neste ano. Ele tem uma chance grande de uma resposta duradoura [regressão do câncer].” Estudos apontam que o tratamento imunoterápico dura dois anos, em média. Pfiffer diz que a forma como Covas tem reagido ao enfrentamento da doença surpreende a todos. “Não apenas no aspecto do tumor, mas em relação a toda condição clínica. Teve Covid19, foi praticamente assintomático. Fisicamente, está tirando tudo de letra. Emocionalmente, nunca se deixou abater.” Em junho deste ano, Covas foi diagnosticado com Covid-19, afastou-se e retornou ao cargo duas semanas depois. Segundo Pfiffer, Covas tem sido transparente desde o início do diagnóstico, o que diminui as chances de rumores, mas, ainda assim, eles se intensificaram nesse período eleitoral. "Desde a primeira coletiva de imprensa, ele pediu para gente ser sincero e transparente com as informações." O oncologista diz que o prefeito está apto a realizar suas atividades pessoais e profissionais sem maiores restrições. Sob a condição de anonimato, a Folha conversou com outros cinco oncologistas (Sírio-Libanês, A.C. Camargo, Albert Einstein, Icesp e Rede D´Or) que ratificam o avanço da imunoterapia nesse tipo de câncer, mas deixam claro que, por ora, não há garantias de que tumor não voltará a progredir mesmo com o tratamento. Um deles diz que, anos atrás, essa doença evoluiria em meses, no máximo dois anos, de maneira fatal. Mas que hoje não é assim, segundo ele, pois essas novas drogas personalizadas possibilitam respostas duradouras, de médio e longo prazo. Esse mesmo médico diz que vai da resposta de cada indivíduo, já que é o próprio organismo que conduz a batalha contra o tumor Ainda de acordo com esse médico, não é possível saber se o tumor de Covas continuará regredindo até ocorrer uma “resposta completa” ou se voltará a progredir, piorando o quadro. Para um outro especialista, essa é uma resposta que ninguém tem, nem o médico de Covas. As respostas, completa, são duradoras enquanto duram. Um cirurgião oncológico conta um caso ilustrativo sobre a experiência com imunoterapia. Há cinco anos ele diz ter operado uma moça de 36 anos. Ela já tinha feito diferentes cirurgias, quimio e estava com a barriga obstruída, cheia de tumores. Ele conta que abriu e fechou a barriga da paciente, não tento condições de fazer absolutamente nada. O médico pensou que ela morreria em dois ou três meses. Como a imunoterapia para o câncer da paciente já se mostrava promissora, ela passou a usá-la como último recurso. Em três meses, diz o médico, uma ressonância apontou que os tumores no abdome haviam diminuído pela metade. Em seis meses, a doença tinha sumido, e a explicação é que, com a droga, houve uma ativação imunológica duradoura contra o tumor.

BOL
Data Veiculação: 27/10/2020 às 12h00

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado nesta terça-feira (27) e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. "A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco", diz David Schlesinger, CEO da healthtech meuDNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro - podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meuDNA, os testes são similares. "Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%." Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. "O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte." Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. "É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes", diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

UOL NOTÍCIAS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 12h00

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado nesta terça-feira (27) e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. "A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco", diz David Schlesinger, CEO da healthtech meuDNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro - podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meuDNA, os testes são similares. "Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%." Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. "O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte." Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. "É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes", diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

CNN BRASIL ONLINE
Data Veiculação: 27/10/2020 às 09h35

Na edição desta terça-feira (27) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes avaliou se o teste rápido de saliva para identificação da Covid-19, feito pelo laboratório Mendelics com Hospital Sírio-Libanês, é confiável e como ele funciona. O teste poderá ser feito em casa, será vendido pela internet e o resultado fica pronto em 24 horas.

CNN NOVO DIA/CNN BRASIL/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 07h33

Agora é hora do quadro correspondente médico com o doutor Fernando Gomes começamos então mais um correspondente médico lá doutor Fernando Gomes mais um dia juntos e sou Eliza roeu todos vão trabalhar lembrando que estamos os dois aqui mas você também pode participar da nossa conversa e sabe qual é a ferramenta hashtag correspondente médica por ela que você consegue conversar com a gente e a gente já começa trazendo uma novidade uma notícia bastante interessante a respeito da Covid19 a ciência tem avançado muito nos testes para detectar casos de covarde e um teste rápido de saliva que pode ter efeito que pode ser feita lá em casa vai ser lançada em São Paulo em algumas cidades da região metropolitana pois é o exame foi feito pelo laboratório man de links com o hospital Sírio Libanês e vai ser vendido pela internet veja só que diferente novidades aparecendo e mas o resultado fica pronto em até vinte e quatro horas o preço deve ser a partir de cento e sessenta e nove reais doutor esse teste funciona de que maneira como que é feito e você conseguir solicitá-lo pela internet que diferença em cujo acabou sendo que a tecnologia chegando perto da gente num processo como quem está vivendo de pandemia isso acaba sendo extremamente importante em tão como funciona esse teste uma vez que existe vírus viável dentro do corpo físico da pessoa principalmente da mucosa e na região da cavidade oral cavidade nasal quando você faz a coleta de saliva esse teste vai pesquisar a presença de material genético do vírus feito ao teste ouro padrão que a gente tem na padrão ouro que acaba sendo ou pcr que retira material tanto da rinofaringe como também da própria cavidade oral pegando a secreção salivar e da própria a região posterior da cavidade nasal para fazer a pesquisa este teste ele tem como prerrogativa à identificação do material viral e com isso então você consegue passar informação pra pessoa se ela tem ou não o coronavírus no corpo lembrando que a especificidade ou seja característica de detectar se o vírus de fato torna presente bastante alto e a sensibilidade pelo que tem publicado em cerca de oitenta por cento mas ai quando eu devo fazer esse teste então no primeiro dia do sintoma é depois de uma semana ou é por indicação de um médico melhor que tenho indicação de um médico de sempre fala isso para a população como um todo por que você pode gastar dinheiro fazendo a solicitação do exame no momento que a gente sabe que tem uma janela impróprio avaliação mas contente vai pesquisar o material genético é geralmente nos primeiros dias depois que existe o contato com alguém que tenha o coronavírus o próprio vírus e a manifestação dos sintomas citou diria ai depois de vinte e quatro horas até dez primeiros dias que acaba sendo a faixa que a gente sabe que é detectada também pelo pelo pcr classe a ciência tá trabalhando avançando que loucura a cada dia nós temos aqui novidades a respeito da covid19 no que diz respeito ao diagnóstico no que diz respeito à prevenção agora a gente traz aqui pra nossa.

PANORAMA FARMACÊUTICO/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 00h00

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. “A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco”, diz David Schlesinger, CEO da healthtech meu DNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro – podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meuDNA, os testes são similares. “Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%.” Video: Cresce desconfiança em vacinas; testes avançam (AFP) Cresce desconfiança em vacinas; testes avançam AFP Ver mais vídeos O que assistir a seguir Clique para expandir Repetir vídeo A SEGUIR Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. “O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte.” Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. “É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes”, diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste.

MSN BRASIL
Data Veiculação: 27/10/2020 às 08h00

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. “A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco”, diz David Schlesinger, CEO da healthtech meu DNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro – podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meu DNA, os testes são similares. “Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%.” Video: Cresce desconfiança em vacinas; testes avançam (AFP) Cresce desconfiança em vacinas; testes avançam AFP Ver mais vídeos O que assistir a seguir Clique para expandir Repetir vídeo A SEGUIR Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. “O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte.” Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. “É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes”, diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste.

TERRA/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 05h10

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. "A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco", diz David Schlesinger, CEO da healthtech meu DNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro - podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meu DNA, os testes são similares. "Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%." Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. "O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte." Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. "É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes", diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste.

ESTADÃO/SÃO PAULO
Data Veiculação: 27/10/2020 às 05h00

Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, fica pronto em 24 horas. Covid-19 no Brasil Consórcio de Veículos de Imprensa O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. “A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco”, diz David Schlesinger, CEO da healthtech meu DNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RT-PCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro – podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCR-Lamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meu DNA, os testes são similares. “Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%.” Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. “O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte.” Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Osasco e Guarulhos. Método O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. “É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes”, diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste.

O ESTADO DE S.PAULO/SÃO PAULO | GERAL
Data Veiculação: 27/10/2020 às 03h00

SP terá teste de Covid19 pela saliva Teste rápido para o coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje na capital e em cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado fica pronto em 24 horas, metrópole / pág. A12 Teste rápido de saliva para covid19 será lançado hoje em SP Parceria de hospital com laboratório, ele é fácil de colher e capacidade de produção é de até 110 mil por dia Paula Felix 4 Desenvolvido inicialmente para uso em empresas e hospitais, um teste para o novo coronavírus por meio da saliva, que pode ser feito em casa, será lançado hoje e estará disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo. O exame custa R$ 169 e o resultado, que pode ser acessado pela internet, ♦ fica pronto em 24 horas. O teste meu DNA Covid19, voltado para detectar o vírus em sua fase ativa, apresenta-se como uma opção em um momento da pandemia em que pessoas retomaram suas atividades e podem precisar fazer o exame mais de uma vez. A amostra é colhida pela própria pessoa por meio de um kit comprado pela internet. Ele é fruto de uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. O laboratório tem a capacidade de realizar 110 mil testes por dia. “A gente está vendo o que está ocorrendo nos outros países, que saíram do primeiro pico e veio um segundo. Enquanto não tiver uma vacina, tem de se preparar para esse ciclo. O risco de passar adiante sem querer e saber é significativo. Ter um teste acessível, fácil de colher, prático, contribui muito para reduzir o risco”, diz David Schlesinger, CEO da healthtech meuDNA e da Mendelics. Schlesinger explica que o teste se junta às medidas de prevenção à covid-19, como o distanciamento e o uso de máscara, e vem como uma opção ao RTPCR, considerado padrão ouro para detecção do vírus, mas que é mais invasivo e mais caro podendo chegar a R$ 470. O exame usa o método PCRLamp (sigla em inglês de amplificação isotérmica mediada por loop), que identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada. Segundo Cesário Martins, diretor da healthtech meuDNA, os testes são similares. “Ele responde se está infectado no momento, técnica semelhante ao PCR, e tem a mesma especificidade, de 99%, e sensibilidade, de 80%.” Martins conta que toda a operação foi pensada para que a pessoa possa fazer o teste sem necessidade de deslocamento. “O kit chega em casa e o nosso app chama o coletor que vai levar ao laboratório. Dependendo do horário em que a pessoa solicitar, vai recebê-lo no mesmo dia ou no dia seguinte.” Além da capital, o teste estará disponível para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, • Sem contraindicação “Não tem contraindicação, jovens ou velhos podem fazer. Crianças com menos de 2 anos, é mais difícil.” Cesário Martins DIRETOR DA HEALTHTECH MEUDNA Osasco e Guarulhos. Método. O método RT-Lamp também está sendo utilizado em um teste desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), e já está sendo usado por funcionários. Deve ser oferecido para a comunidade externa a partir do próximo mês. Os preços ainda não foram definidos. Até 50 testes podem ser realizados por dia. “É importante ter uma opção com custo mais baixo e acesso mais simples, porque é um teste que as pessoas vão ter de repetir várias vezes”, diz Maria Rita Passos-Bueno, professora titular do Instituto de Biociências e pesquisadora do centro. A pesquisa está sendo realizada com apoio da Fapesp e da JBS. Testes com saliva têm sido desenvolvidos no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos. O da Universidade Federal de Goiás (UFG) já está em fase final. Até agosto, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, já tinha autorizado o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra para o teste. COMO FUNCIONA • Amostra é retirada em casa e resultado é visto pela internet O Compre o kit pelo site https://meudna.com/ Q Após a ativação do kit, escove os dentes e fique cinco minutos em jejum (a pessoa não deve comer, nem beber água, nem fumar).