Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

UOL NOTÍCIAS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS/SÃO PAULO
Data Veiculação: 26/11/2020 às 19h43

O técnico Cuca voltou a comandar o Santos no CT Rei Pelé na tarde de hoje. O treinador contraiu a covid-19 e teve lesões pulmonares e hepatite, e passou por exames pulmonares e cardiológicos antes de ter o retorno autorizado. Cuca foi internado no Hospital Sírio-Libanês por precaução após ser diagnosticado com o novo coronavírus no dia 7. No hospital, sofreu com dores de cabeça e no corpo, e teve sintomas como febre e pressão alta. Ele chegou a ser internado na unidade Semi-Intensiva por apresentar dificuldades respiratórias, e dois dias depois apresentou melhora. Cuca recebeu alta no último dia 16, e passou a tratar as lesões pulmonares e hepatite em casa. Ele permaneceu em repouso nos últimos dez dias por orientação médica. Ao todo, foram 19 dias de afastamento. Durante o tratamento de Cuca, Marcelo Fernandes foi quem comandou o Santos nas vitórias sobre o Internacional e LDU, e na derrota para o Athletico-PR.

R7.COM/SÃO PAULO
Data Veiculação: 26/11/2020 às 10h37

O hospital Sírio Libanês em São Paulo divulgou boletim sobre estado de saúde da senadora Kátia Abreu (PP-TO) que continua internada no hospital para tratamento da covid-19. De acordo com o boletim, a senadora está sem febre, continua medicada e seus exames mostram evolução positiva. Kátia Abreu está, segundo informações do hospital, no 12° dia de contaminação, saindo, portanto, do período crítico. A parlamentar aproveita para agradecer pelo carinho, pelas mensagens de apoio e pelas orações. A senadora está internada desde sábado (21) na capital paulista e vive outro drama pessoal. Ao lado do marido Moisés, a senadora agradeceu o atendimento inicial prestado pelos médicos em Palmas (TO). “Agradecemos o atendimento médico inicial em Palmas, feito pelo Dr. Rafael Nogueira (infectologista) e Dra. Fernanda (pneumologista), que foi de fundamental importância para o sucesso do tratamento. Rogamos a Deus que a vacina seja disponibilizada com urgência, para a proteção de todos nós. Pedimos, em especial, pela saúde de todos os brasileiros”.

ANA MARIA ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 26/11/2020 às 08h18

Pessoas que contraíram covid-19 podem doar sangue, se respeitarem um período mínimo após a melhora completa de sintomas. Para que estejam habilitadas a doar, é necessário que aguardem 30 dias depois que todos os indicativos da doença tenham desaparecido, conforme explica a médica hemoterapeuta Roberta Fachini, do Hospital Sírio-Libanês. Em entrevista concedida à Agência Brasil, a profissional destacou que, até o momento, não houve evidências científicas de que o Sars-CoV-2 possa ser transmitido através de transfusões de sangue. Mesmo assim, ressalta, os bancos de sangue e hemocentros têm tido cautela em relação ao assunto, como prevenção. "Felizmente, esse vírus, apesar de ser detectado, por exames de biologia molecular, também na corrente sanguínea, não existe nenhuma comprovação científica de que essa quantidade de vírus seja capaz de infectar um paciente pela via transfusional. Mas, de qualquer forma, o critério de 30 dias após plena recuperação dos sintomas tem sido bastante aceito, é o praticado mundialmente, como critério de segurança adicional", afirma. "Considero que a medicina leva um tempo de amadurecimento. Assim como ocorre com as vacinas, só o tempo irá nos dizer se transmite ou não por transfusão. Nesse momento, se existir uma transmissão transfusional, tem sido muito incipiente, muito reduzida, porque não tem sido evidenciado isso por toda essa vigilância que a comunidade médica tem feito", acrescenta, assinalando que, atualmente, o que se verifica é que o contágio está relacionado à interação com mucosas e a uma série de fatores imunológicos. Por esse motivo, perguntas relacionadas à covid-19 tornaram-se praxe, sendo adicionadas ao questionário que já era feito anteriormente pelas equipes de triagem dos bancos de sangue. Durante a entrevista, os profissionais de saúde buscam saber se o potencial doador teve contato recente com alguém que teve o diagnóstico de covid-19 confirmado, ou seja, que testou positivo para a doença, o que pode, inclusive, identificar candidatos que possam ser assintomáticos. Para averiguar, indagam também se o voluntário apresentou febre nos últimos 14 dias, sintomas gripais, como falta de ar, tosse e coriza, perda de paladar ou paladar distorcido, perda de olfato e cefaleia. "É diferente do risco de transporte ou do supermercado, que a gente não sabe se entrou ou não em contato com o vírus. Mas se teve alguém que trabalha com a gente ou da mesma casa, com diagnóstico recente, a gente pede que esse doador não doe nesse momento e aguarde um período de quarentena, para ver se vai manifestar algum sintoma ou não, que são os 14 dias de quarentena", explica Roberta. "E nesse momento, a gente orienta também que, caso nos dias pós doação, apresente qualquer sintoma de covid-19, com diagnóstico ou não, com sintoma suspeito, que avise imediatamente ao banco de sangue, porque muitas vezes a gente tem condição de bloquear algum hemocomponente produzido a partir da doação que ainda esteja em estoque", disse.

UOL NOTÍCIAS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS/SÃO PAULO
Data Veiculação: 26/11/2020 às 04h00

O técnico Cuca e a sua comissão técnica devem retornar ao CT Rei Pelé na tarde de hoje (26). Todos passarão por exames cardiológicos e pulmonares antes de serem liberados para voltar a orientar os treinos do Santos. O comandante contraiu a Covid-19 e teve lesões pulmonares e hepatite. Cuca testou positivo para o coronavírus no último dia 7 e foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por precaução — o técnico chegou a fazer uma cirurgia no coração em 2018, quando se afastou temporariamente do futebol e deixou o Peixe. No hospital, o técnico sofreu principalmente com intensas dores de cabeça e sentiu muito sono por conta da medicação. Ele também apresentou outros sintomas, como febre e aumento da pressão. Cinco dias depois da internação, Cuca foi transferido para a Unidade Semi-Intensiva, após apresentar leves dificuldades respiratórias. Ele teve de lidar com uma pneumonia, considerada normal naquela fase da doença, e foi monitorado o tempo todo durante dois dias, quando apresentou melhora e retornou ao quarto no Sírio-Libanês. Foram mais dois dias internado até que, no dia 16, Cuca recebeu alta e pôde ir para casa. Ele tratou as lesões pulmonares e a hepatite em casa, sendo monitorado à distância pelo Peixe. As orientações médicas foram de mais dez dias em repouso e afastado de suas atividades profissionais. O período acaba hoje. No total, Cuca está afastado do Alvinegro praiano há 19 dias. O técnico enfrentou problemas familiares durante o período: esposa, filho, genro e sogros também foram contaminados com a Covid-19. O sogro do treinador faleceu no último domingo (22). Sem Cuca no banco de reservas e a sua comissão técnica, o auxiliar Marcelo Fernandes comandou a equipe na vitória sobre o Internacional, derrota para o Athletico-PR — ambos jogos pelo Brasileirão — e triunfo diante da LDU, pela partida de ida das oitavas de final da Libertadores. O resultado diante dos equatorianos na altitude de Quito foi muito comemorado por toda a comissão técnica, que participou à distância da preparação.