Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

Laboratórios têm espera de até uma semana para teste de Covid-19 VEJA SÃO PAULO.COM.BR/SÃO PAULO Data Veiculação: 22/12/2020 às 17h14 Saúde Vejinha tentou agendar exame do tipo RT-PCR nas principais redes da cidade; entidades relataram aumento na demanda Os swabs, cotonetes utilizados para coleta de material no teste para Covid-19 do tipo RT-PCR Vesna Harni/ Pixabay/Divulgação Publicidade Publicidade O paulistano que tentar encontrar testes para Covid-19 da modalidade RT-PCR em laboratórios particulares pode encontrar uma espera de até sete dias para realização do exame. As principais instituições da cidade relataram à Vejinha um aumento na demanda neste final de ano. A maior parte realiza o teste apenas por drive-thru. O teste do tipo RT-PCR detecta se o paciente está ou não com o vírus e costuma ter o resultado divulgado em até três dias úteis, dependendo do laboratório. É realizado por meio da coleta de material do nariz e garganta com cotonetes. Na segunda-feira (21), a data mais próxima disponível para o agendamento do exame no Hospital Sírio Libanês, na Rua Dona Adma Jafet, era o dia 28 de dezembro. Em nota, a entidade afirmou que vai ampliar o horário de agendamento e o número de profissionais a partir da próxima segunda (28). O laboratório CDB, com diversas unidades na capital paulista, contava com horários disponíveis para quarta-feira (23) apenas na unidade Borba Gato até o fechamento desta matéria. Para outros endereços, apenas a partir do sábado (26). Em nota, o Grupo Alliar, dono do laboratório, afirmou que “identificou o crescimento de demanda” e que “para atender a procura, os laboratórios da rede já ampliaram as linhas para atender a população”. O valor do exame varia de acordo com a entidade, podendo custar entre 350 reais a 470 reais sem convênio médico. Continua após a publicidade nas unidades do Grupo Fleury, que incluem também os laboratórios A+, a data mais próxima verificada nesta terça-feira (22) é o próximo sábado (26). O grupo faz testes do tipo RT-PCR somente por drive-thru. O prazo pode ser ainda maior dependendo do endereço. Em nota, a empresa afirmou que também vem observando um aumento na procura por exames da Covid-19. O Hospital Albert Einstein realiza testes do tipo RT-PCR dentro de suas unidades, não sendo necessário agendamento prévio. Pelo drive-thru, a espera é de ao menos dois dias, dependendo da unidade. Procurado, o Einstein não se pronunciou até o fechamento do texto. Na rede pública municipal, a Vejinha ligou para três Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital (Parque Maria Domitila, Vila Romana e Almirante Dellamare), que informaram que realizam o teste após o paciente passar por atendimento médico e o profissional de saúde indicar a necessidade do exame. O Instituto Butantan, que realizou mutirões de exames gratuitos na capital nos últimos meses, afirmou que atualmente as ações de testagem estão a cargo da prefeitura. Sobre o posicionamento do Butantan, a prefeitura afirmou que o Inquérito Sorológico realizado no município terá mais quatro fases, com início em 5 de janeiro e término em fevereiro. Em cada fase, 5 760 paulistanos serão testados por meio de sorteios. Em novembro, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que o governo federal possuía 6,8 milhões de testes parados em um depósito na cidade de Guarulhos. A Vejinha também procurou o Ministério da Saúde para falar sobre o montante, mas ainda não teve resposta. Todas as sextas-feiras de manhã, uma seleção afiada do crítico Miguel Barbieri Jr. dos melhores filmes e séries. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter Aceito receber ofertas produtos e serviços do Grupo Abril.LIVRE DA COVID-19, LUXEMBURGO TEM ALTA: 'VARA DE MARMELO, ENVERGA, mas não quebra' ESTADÃO/SÃO PAULO Data Veiculação: 22/12/2020 às 14h18 Oito dias após ser internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, diagnosticado com covid-19, o técnico Vanderlei Luxemburgo, de 68 anos, recebeu alta, nesta terça-feira. O treinador, que está sem clube depois de ser demitido do Palmeiras em outubro, gravou um vídeo nas redes sociais e agradeceu o tratamento recebido e o carinho de amigos e fãs. "Estou indo para casa. Recebi alta, graças a Deus. Passei por essa, vencemos o vírus. Vara de marmelo. Enverga, mas não quebra", disse Luxemburgo, ainda bastante rouco e com certa dificuldade para falar. "Obrigado pelo carinho, afeto e pelas orações por mim". O treinador foi internado no dia 14, após testar positivo pela segunda vez para o novo coronavírus. Em julho, quando ainda comandava o Palmeiras, ele teve a doença na forma assintomática e se recuperou em casa. Desta vez, ele se queixou de mal-estar, teve febre, revelou que sentiu dificuldade para respirar em alguns momentos e precisou receber atendimento médico. Na última sexta-feira, o técnico já havia dito que estava melhor e que deixaria o hospital logo. Luxemburgo está sem clube desde que foi demitido do Palmeiras em outubro. O clube trouxe para a vaga dele o português Abel Ferreira, que também teve a covid-19 e se recuperou recentemente. Fora do futebol, o experiente treinador alterna a rotina entre São Paulo e Rio de Janeiro, além de cuidar de investimentos. Um dos empreendimentos que tem é uma emissora de TV no Tocantins.