Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

JORNAL DA TARDE/TV CULTURA/SÃO PAULO
Data Veiculação: 14/05/2021 às 12h06

Uma esperança para quem sofre de esclerose múltipla um estudo inicial mostra que a vacina da Pfizer conta Covid19 pode conter a doença autoimune que afeta o sistema nervoso central ela atinge quase três milhões de pessoas no mundo no brasil são trinta e cinco mil pode ser um novo caminho para os pacientes diagnosticados com esclerose múltipla a farmacêutica alemã biotech que produziu a vacina da Covid19 em parceria com a fazer testou com sucesso uma versão do imunizante contra o novo coronavírus em ratos capaz de reverter uma paralisia semelhante à de pacientes acometidos com a doença degenerativa o estudo ainda em fase inicial foi publicado na revista científica science o tratamento é baseado em uma molécula de rn mensageiro que pode fazer o sistema imunológico de ratos que padecem de uma doença semelhante à esclerose múltipla aprender a tolerar a membrana que protege o sistema nervoso central a mielina e assim parar de causar novos danos nesse sistema os ratos tratados com a vacina mostraram num primeiro momento a interrupção dos primeiros sintomas da esclerose múltipla em alguns casos houve reversão da paralisia que os animais sofriam. Fala da neurologista do Hospital Sírio Libanês, Samira Luísa dos Apóstolos: ela é uma vacina que ela não induz almas terminológico ficar mais fraco nela e iria modular o sistema imunológico pra tem uma tolerância a bainha de mielina que protegem o neurônio e não ter e não fabrica anticorpos ou não atacar sua própria bainha de mielina atualmente existem mais de dez tratamentos aprovados contra esclerose múltipla os medicamentos modulam a resposta do sistema imunológico mas trazem efeitos colaterais como a redução da eficácia das defesas do organismo contra outras doenças a vantagem da vacina da biotech é que os estudos iniciais mostram que essa redução da ação do sistema imunológico não acontece o que faria o paciente adoecer menos há alguns anos a doença tinha rápida evolução apesar dos efeitos colaterais os tratamentos prolongaram vida dos pacientes com qualidade para dez vinte anos agora a vacina com bons resultados contra o novo coronavírus pode ser a esperança para outras milhares de pessoas. Fala do geriatra do Hospital das Clínicas, Paulo Camiz: com os tratamentos a atual pessoa leva uma vida praticamente normal porque um custo extremamente alto na os tratamentos é de última geração e você tem uma imunossupressão à pessoa fica mais sujeita a ter infecções oportunistas andar então é esse é um efeito quente não esperaria desse novo tratamento e também se for o custo de uma vacina vai ser muito mais barato também