Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

JORNALDEBRASILIA.COM.BR/BRASÍLIA
Data Veiculação: 05/08/2020 às 00h00

PUBLICIDADE Estresse tóxico é definido por uma situação de estresse elevado e contínuo que pode gerar danos irreversíveis ao desenvolvimento neuropsicomotor de uma criança. “A evolução do indivíduo depende da genética e do ambiente que o cerca. Durante a pandemia, esse ambiente tende a se tornar inapropriado para o crescimento adequado de uma criança, que está em intenso desenvolvimento cerebral”, explica a pediatra Dra. Andressa Tannure, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e especialista em Suporte de Vida em Pediatria pelo Instituto Sírio-Libanês e pelo HCOR. Segundo Andressa, toda criança será exposta, inevitavelmente, a situações adversas, como a perda do seu animal de estimação, mudança de escola, de cidade, entre outras. Mas, no momento atual, o cenário é mais delicado, pois se trata de um episódio completamente atípico. “A criança pode dar os primeiros sinais desse estresse com atitudes que antes não eram comuns. Ficam mais chorosas, não dormem bem, alteram o apetite, regridem no desenvolvimento (uma criança que já havia realizado o desfralde volta a fazer xixi na cama) e evoluem para quadros mais intensos de hiperatividade, agressividade, personalidade introspectiva, sentimento de incompetência e déficit de atenção”, explica Andressa Tannure. Quando a criança é exposta ao estresse tóxico, toda a sua estrutura cerebral é afetada, provocando disfunção no sistema neurológico e endocrinológico. “Essas alterações se refletem na vida adulta, com o desencadeamento de doenças crônicas, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes melitos, doenças pulmonares, distúrbios neuropsiquiátricos e comportamentais (como depressão ou transtorno de ansiedade generalizada) e maior risco à dependência química”. CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE De acordo com a pediatra, em meio a todas essas situações atuais, fica mais evidente a importância do suporte familiar, do acolhimento, do incentivo às atividades de lazer, do estabelecimento de uma rotina saudável (alimentação, sono e exercícios) e, se necessário, de um tratamento multidisciplinar com psicoterapia. “Todo esse amparo, somado a sua maturidade, ao seu estágio de desenvolvimento e sua habilidade intrínseca, serão determinantes para que a pandemia não gere graves consequências à criança”, finaliza Andressa Tannure. Dra Andressa Tannure

FOLHA DE S.PAULO ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 05/08/2020 às 20h23

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribuna Federal), está se submetendo a exames médicos em São Paulo e pode ter que passar por um novo procedimento cirúrgico. Em janeiro, ele fez uma operação no quadril. Em março, foi internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, com quadro de erisipela. A doença não guardava relação com a pandemia do novo coronavírus nem com a cirurgia na cabeça do fêmur a que ele tinha se submetido. Ele recebeu alta e ficou mais um período de licença médica. Depois do retorno, trabalhou inclusive nas férias de julho. A assessoria do ministro confirmou a informação de que o ministro pode se submeter a nova cirurgia. "Em resposta à sua indagação, informo-a que o Ministro Celso de Mello, que trabalhou intensamente no período de suas férias em julho deste ano, está a submeter-se a exames cujos resultados podem recomendar novo procedimento cirúrgico", afirmou o gabinete do magistrado.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 05/08/2020 às 15h37

O último boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês, no início da tarde desta quarta-feira (5), diz que o governador Mauro Mendes (DEM) apresentou melhora no quadro de pneumonia, mas que ainda não há previsão de alta. Segundo o boletim, o governador “se recupera satisfatoriamente” e está sendo medicado com antibióticos pela via venosa. Mauro Mendes foi internado no sábado (1º), porque teve uma indisposição, logo após terminar uma reunião de trabalho em São Paulo. No mês de junho, Mauro Mendes contraiu Covid-19. Ele passou duas semanas isolado em casa e foi curado.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 05/08/2020 às 09h51

Você pode ouvir o Bem Estar no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer ou no aplicativo de sua preferência. Cada vez mais estudos mostram sintomas neurológicos em pacientes com Covid-19. Eles podem variar de perda de olfato e paladar, que é extremamente comum nos casos mais leves, até derrame cerebral e encefalopatia, que causa alteração de consciência, convulsão e agitação. No Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo, estão sendo atendidos os casos mais graves de coronavírus da rede pública da capital. Um estudo publicado pelo grupo de neurologia que acompanhou esses pacientes, mostrou que cerca de 8% deles apresentaram esses sintomas neurológicos. Apesar da encefalopatia ser uma sequela comum em pessoas que ficam muito tempo internadas em UTIs, os casos de Covid têm surpreendido os médicos pela gravidade. Para explicar melhor esse assunto e entender como o coronavírus pode afetar o nosso sistema nervoso, o Bem Estar conversou com o Dr. Bruno Guedes, neurologista do Hospital das Clínicas e do Sírio Libanês, e um dos autores do estudo, e com o neurocirurgião Josimar Reyes Ortiz. Josimar trabalha no Hospital das Clínicas e teve um quadro gravíssimo de coronavírus. O podcast do Bem Estar tem a direção de Patrícia Carvalho, Karina Dorigo e Ivone Happ, assistência de direção de Ana Amélia Bazela, roteiro e edição de Fabiane Leite e Leonardo Nicastro e edição de redes sociais de Mariana Garcia. O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.