Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

CRESCER ONLINE/SÃO PAULO Data
Veiculação: 04/03/2020 às 18h55

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (4), o Ministério da Saúde anunciou que ela passou por países como Portugal e Itália e, durante a viagem, acabou sofrendo uma lesão esquiando e teve que ir ao hospital. Quando voltou ao Brasil, a jovem, mesmo aparentemente sem os sintomas para o coronavírus, como febre e coriza, fez o teste para avaliar a possibilidade de estar infectada, já que passou por um ambiente hospitalar.

Realizado em um laboratório particular, o teste deu positivo e agora aguarda contraprova que será feita pelo Instituto Adolfo Lutz. "Eu não conheci todo o caso dessa garota de 13 anos. Se fosse minha filha e tivesse ido para uma estação de esqui na Itália e machucado o joelho, eu teria um cuidado muito intenso porque hospital não é local para frequentar sem ser necessário, tem que ter bom senso", disse Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde.

É possível ter vírus e ser assintomático?

De acordo com a infectologista Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio-Libanês (SP), baseado no comportamento de outros vírus respiratórios, é possível que uma pessoa tenha o vírus e não desenvolva os sintomas. No entanto, no caso da menina que espera a contraprova, a especialista alerta que ainda é cedo para falar que ela é totalmente assintomática. "Ela pode não ter tido febre ou falta de ar, mas pode ter sentido uma leve dor de garganta. Ainda é preciso apurar melhor", diz. A especialista afirma ainda que, mesmo a menina sendo assintomática aparentemente, não é necessário pânico quanto ao diagnóstico do coronavírus.

A infectologista recomenda que a ida hospital só seja realizada se o paciente tiver os sintomas do coronavírus. No entanto, caso alguma pessoa tenha ido para uma área de grande propagação do vírus, é indicado que não tenha contato com grupos de riscos, como os idosos. "Não existe um remédio específico para o coronavírus, nós tratamos apenas os sintomas, se não há sintomas, não há quadro clínico", afirma. Terceiro caso confirmado Já o terceiro caso do paciente com coronavírus é um homem de 46 anos, que passou por países como Itália, Áustria, Alemanha e Espanha. Morador de São Paulo, ele trabalha como administrador de empresas, e é natural da Colômbia. O pais já tem 531 casos suspeitos.

O primeiro caso brasileiro também veio da Itália, país onde já foram identificados mais de 3 mil casos e pelo menos 100 mortes. Após chegar de uma viagem a trabalho da região da Lombardia, o paciente deu entrada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, com sintomas do coronovírus. Logo depois veio a confirmação do Ministério da Saúde. O segundo caso é de um homem de 32 anos que esteve em Milão, na Itália. "Esse vírus tem uma capacidade de transmissibilidade muito alta já que começou na China e percorreu vários países num período relativamente curto de tempo, mas está se comportando como os vírus respiratórios que conhecemos", afirma o ministro. Confira os cuidados para evitar a contaminação

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Evite o contato com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Faça lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • Use lenço descartável para higiene nasal;
  • Cubra o nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Lave as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Mantenha os ambientes bem ventilados.