Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

SBT BRASIL/SBT/SÃO PAULO
Data Veiculação: 02/02/2021 às 20h35

Uma pesquisa divulgada pela associação médica brasileira revela que para oitenta por cento dos médicos a segunda onda da Covid19 no país será tão ou mais grave que a primeira e setenta por cento dos profissionais observam tendência de alta no número de mortes dedicados e esgotados profissionais de saúde há quase um ano enfrentam o maior desafio profissional de suas carreiras para este médico de Brasília a responsabilidade de salvar vidas numa realidade tão nova tem exigido muito mais de cada um esse cenário de uma doença que se espalhou pelo mundo inteiro que esgotou os sistemas de saúde que a comércio e com com elevadas de mortalidade e pessoas jovens saudáveis mata colega de trabalho sílvio foi muito desafiador em muitos compreenderão a doença como pacientes vinte e cinco por cento dos médicos foram infectados pelo coronavírus doutor césar cardiologista no rio de janeiro contaminou se passou nove dias na uti depois dessa experiência eu tenho sido mais cauteloso tem tido talvez mais empatia que o fato de ter adoecido descaso internado me mencionou muito mais do que eu aprendi nos últimos vinte e sete anos já tendo formado neles com o coronavírus o índice de contaminação ficou bem acima do que ocorre com outras doenças presidente da associação médica brasileira compara por exemplo a epidemia de meningite que atingiu o brasil há quase cinquenta anos e vendo meus colegas é que eu me lembre o infectado pelo meningococo hoje o número é brutal porque essa doença altamente transmissível daí a tragédia dos números da pandemia a pesquisa feita com quase três mil e novecentos médicos mostrou que entre os que atuam na linha de frente muitos já perceberam no começo do mês passado o aumento de casos e de mortes questionados sobre a atuação do ministério da saúde em meio à crise mais da metade avaliam como ruim ou péssima de cada dez médicos sete não acreditam que o sistema de saúde será tratado como prioridade mesmo depois de todas as fragilidades expostas na pandemia mas é preciso olhar adiante e o futuro cada vez mais presente é a vacina na pesquisa os médicos foram praticamente unânimes em afirmar que iriam se vacinar como também recomendar a seus pacientes tem informação de quem realmente entende do assunto para enfrentar aqueles que ainda resistem aos avanços da ciência vacina ela é segura e a vacina que chegaram ao seu braço não deixo de exercer esse seu direito essa sua obrigação ergueria pessoal obriga sobre cidadania.

ESTADÃO/SÃO PAULO
Data Veiculação: 02/02/2021 às 16h45

A Prefeitura de São Paulo autorizou, a partir do dia 1º de fevereiro, a volta às aulas presenciais nas escolas particulares da cidade, da educação infantil ao ensino médio. No Colégio Rio Branco, em Higienópolis, os protocolos sanitários adotados contra a covid-19 foram recomendados pelo Hospital Sírio Libanês. Dentre eles, termômetros na entrada, sinalizações para garantir distanciamento social e álcool em gel nos corredores. Ao Estadão, alunos do 1º ano do Ensino Médio contaram que ficaram felizes com a volta, depois de dez meses de ensino remoto por causa da pandemia. Volta às aulas presenciais nas escolas particulares de São Paulo - YouTube Na rede estadual, o retorno está previsto para a próxima segunda-feira, dia 8; na rede municipal, para 15 de fevereiro. Pela determinação do governo João Doria (PSDB), nas fases vermelha e laranja do plano de flexibilização da quarentena, as escolas podem funcionar com apenas 35% dos estudantes. Na fase amarela, os colégios vão poder funcionar com 70% da sua capacidade; e na fase verde, com 100% dos seus alunos. Para as escolas particulares, o retorno presencial é opcional, independentemente da fase em que estiver o Estado, mas o ensino remoto precisa continuar sendo oferecido. Segundo Esther Carvalho, diretora-geral do Colégio Rio Branco, cerca de 75% dos pais optaram pela volta às aulas presenciais neste primeiro momento.

ECOS DA NOTÍCIA
Data Veiculação: 02/02/2021 às 13h28

Divulgado na revista científica Plos One, estudo traz o acompanhamento de 212 pacientes acometidos pela forma mais grave da doença, de março a junho de 2020. A taxa de mortalidade entre os pacientes em ventilação mecânica foi de 25%. O combate ao SARS-COV2 passa pelo distanciamento social, utilização de máscaras e higienização das mãos, mas quando as pessoas são acometidas pela forma mais grave da doença, uma UTI equipada e corpo clínico capacitado fazem toda a diferença para os índices de sucesso no tratamento da COVID-19. Um estudo publicado na revista científica Plos One com 212 pacientes internados de março a junho comprovou a eficácia do trabalho realizado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo (SP), em comparação a pacientes que passaram pelo mesmo setor em 2019 com quadro de doenças respiratórias e infecciosas. Os pacientes com COVID-19 do estudo apresentavam as seguintes características em relação aos pacientes do período anterior: idade menor (média de cerca de 60 anos), predominância do sexo masculino, menor incidência de morbidades graves e maior incidência de obesidade. Apresentaram tempos de internação mais longos e maior consumo de recursos, tais como suporte ventilatório invasivo e não invasivo, diálise e circulação extra-corpórea (ECMO). Um dos índices que chama a atenção no estudo é o de mortalidade por faixa etária quando comparados a outros estudos publicados na literatura médica. Entre os pacientes até 59 anos, os números foram próximos a zero. Já no grupo de 70 a 79 anos, foi de 4,2%, e nos acima de 80 anos, de 14,3%. “Esses números comprovam a eficiência do nosso protocolo de tratamento e a adequação do sistema”, explica Dr. Laerte Pastore, gerente médico de Unidades Críticas do Sírio-Libanês. Dados da Associação de Medicina Intensiva Brasileira mostram que, mesmo com a redução das internações, mortalidade da covid-19 nas UTI chega a 65%. Já em pacientes em ventilação mecânica, os índices de mortalidade sobem, mas ainda são bem-sucedidos quando comparados aos de outros estudos. Na faixa etária de 18 a 59 anos, os índices permanecem próximos a zero, mas em dois grupos foram apresentadas elevações: em pessoas de 60 a 69 anos (13,3%); de 70 a 79 anos (15,4%); nos pacientes acima de 80 anos, os números sobem para 48%, porque geralmente são aqueles que apresentam mais comorbidades e fragilidade. “É uma doença que consome muito recurso humano, materiais, insumos, medicamentos e o próprio leito, que permanece ocupado por muito tempo, além de cobrar um preço muito alto do organismo do paciente e do sistema de saúde”, explica Dr. Pastore. No Brasil, a taxa de mortalidade de pessoas com covid-19 intubadas em UTI chega a 65%. Isso significa que a cada 10 pessoas que necessitam de ventilação mecânica por complicações da infecção pelo novo coronavírus, seis acabam morrendo. Os dados são do projeto UTIs Brasileiras, da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), que reuniu informações sobre 1.289 Unidades de Terapia Intensiva de 617 hospitais públicos e privados do Brasil, entre 1º de março e 12 de agosto. Outro dado importante é que a mortalidade foi semelhante em 28 ou 60 dias de UTI, e a probabilidade de sobrevida foi maior, no mesmo intervalo de tempo, em pacientes em ventilação mecânica, quando comparados aos pacientes do período anterior à COVID-19. “Chegamos a esses resultados graças ao preparo pré-pandemia feito pelo hospital, com aumento de leitos e equipamentos, equipes bem dimensionadas e treinadas, processos bem estabelecidos e pacientes levados no momento mais adequado para as unidades de cuidados intensivos”. Sobre o Sírio-Libanês A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, instituição filantrópica fundada em 1921, trabalha diariamente para oferecer e compartilhar com a sociedade uma assistência médico-hospitalar de excelência, sempre com um olhar humanizado e individualizado em mais de 60 especialidades. Desenvolve também atividades de ensino e pesquisa e executa projetos que consolidam sua responsabilidade social genuína. O Sírio-Libanês mantém o compromisso assumido há quase 100 anos por sua fundadora e realiza iniciativas sociais em quatro pilares: Integração com a Comunidade, Ambulatórios, Instituto Sírio-Libanês de Responsabilidade Social e Projetos de Apoio ao SUS. O Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa promove cursos de atualização, pós-graduação, pesquisas e estudos, disseminando conhecimento e boas práticas para a sociedade em geral. A instituição foi pioneira na criação do programa Sírio-Libanês Saúde Corporativa, que une empresas, operadoras e medicina no cuidado qualificado e acompanhamento da saúde. O serviço é voltado para organizações de diversos setores e atende mais de 120 mil vidas, ajudando na gestão do benefício do plano de saúde e melhorando a qualidade de vida e produtividade de profissionais. Atualmente, o Sírio-Libanês está presente com unidades físicas em São Paulo e Brasília.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 02/02/2021 às 12h25

Morreu nessa nesta segunda-feira (1º), o empresário e engenheiro maranhense Hênry Duailibe Filho, após complicações causadas pelo novo coronavírus (Covid-19). Hênry estava internado há nove meses no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, e sofreu falência múltipla dos órgãos. Como empresário da construção civil, atuou na construção do Espigão Costeiro, na restauração da Rua Grande e na reforma do Parque do Bom Menino, em São Luís. Hênry Duailibe Filho deixa quatro filhos e quatro netos. O velório será realizado a Pax União, no Centro de São Luís, às 18:30h desta terça-feira (2). O sepultamento será na quarta-feira (3) às 11h, no cemitério Memoral Pax União, no Paço do Lumiar, região metropolitana de São Luís.

JORNAL DE BRASÍLIA/BRASÍLIA | Outros
Data Veiculação: 02/02/2021 às 03h00

EMPENHO Vários integrantes da bancada do Distrito Federal se destacaram nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado. No Senado, a candidatado MDB, Simone Tebet (MS) agradeceu ontem à colega Leila Barros (PSB-DF/foto) por todo o apoio recebido, já que Leila foi uma das primeiras parlamentares a fechar o voto com ela. Reforços Na Câmara, o candidato Arthur Lira (PP-AL) destacou em várias conversas os apoios que recebeu da deputada federal CelinaLeão (PP-DF), aliada de primeira horada sua campanha, e também da coordenadora da bancada, deputada Flávia Arruda (PL-DF). Flávia, aliás, teve seu nome lembrado ao longo do dia. Retomada A Câmara Legislativa do DF(CLDF) retoma suas atividades a partir de hoje. Dentre as matérias em tramitação na Casa tidas como prioritárias estão questões relacionadas à pandemia, projetos ligados à regularização fundiária, atualizações de normas e questões voltadas para o desenvolvimento de Brasília e RAs. Recuperação os deputados distritais também se preparam para receber, ainda neste semestre, a proposta de revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB), afirmou que um dos focos principais do trabalho de 2021 será a tramitação de projetos voltados para recuperação da economia. Do celular Polêmica, como tem sido desde o início da sua atuação parlamentar, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) deixou irritados, ontem, muitos líderes partidários. É que vários pedidos foram feitos aos parlamentares para que evitassem filmar ou fotografar o momento dos seus votos, nas cabines da Câmara. Incentivo O objetivo dessa precaução tinha o intuito de evitar que houvesse comprometimento com os votos dos deputados, como moeda de troca por favores diversos. Bia, no entanto, não deu a mínima para essa orientação: não apenas confirmou que iria registrar tudo do seu celular como incentivou os demais deputados afazerem o mesmo. Agora vai A deputada está cotada para a presidência da Comissão Mista de Orçamento (CMO), uma das mais importantes do Congresso. Seu nome vinha sendo cogitado por Lira desde o ano passado, mas em função da pandemia e das brigas internas entre os líderes que adiaram a instalação desse colegiado, tal hipótese terminou sendo deixada de lado. Profissionalização Proibidos de circular em vias públicas com o uso de veículos de tração animal (VTA) desde 2016, os carroceiros do DF terão, agora, acesso a cursos de profissionalização e financiamentos para a aquisição de veículos ou bicicletas. É o que determina a Lei 6.802, sancionada sexta-feira(29) pelo GDF. Reinserção A nova lei, de autoria do deputado distrital Eduardo Pedrosa (PTC), cria políticas públicas que asseguram aos carrocei ros e seus familiares apoio e novas condições para sua reinserção no mercado de trabalho. "Com isso, vamos impedir a situação de precariedade do ponto de vista econômico e de exclusão deles", frisou o distrital. Sustento De acordo com Pedrosa, com a mais recente política de inclusão, esses trabalhadores poderão reorganizar o seu ambiente de vida, bem como sua formação cultural e educacional "para garantir-lhes meio de sustento sem produzir uma indesejável condição de marginalidade soei al". Reconhecimento está em vigor, no DF, a lei que garante o reconhecimento do nome social em consonância à identidade de gênero de pessoas trans e travestis nas lápides de túmulos, jazigos, certidões de óbito e outros documentos. Cerimôniasfúnebres também devem estarem consonância com a individualidade das pessoas trans. Garantia Sancionada na última semana, a legislação permite que esse direito seja garantido mesmo quando o nome registrado em documentos de identidade civil (RG, Certidão de Nascimento) diverge do nome social. A população trans de Brasília e Regiões Administrativas comemora. Em vigor O líder do governo na Câmara Legislativa do DF (CLDF), deputado Hermeto (MDB), está feliz da vida com a Lei 6.788/21, que entrou em vigor na última semana, de autoria dele. O objetivo é contribuirmais com ações de captura de foragidos. Dados A legislação estabelece que se dê prioridade, nos sites da PCDF e da Subsecretária do Sistema Penitenciário do DF, a todas as informações necessárias para uma melhor identificação. Foragidos Sendo assim, entram em primeiro lugar na identificação das pessoas itens como o nome procurado, foto, possíveis variações de aparência, apelidos, focal e data de nascimento, idade, cor dos olhos e dos cabelos, altura, peso, sexo, raça e os crimes cometidos. Sírio-Libanês 0 Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da CLDF (Fascal) assinará termo de credenciamento com o Hospital Sírio-Libanês na próxima quarta-feira (3), na sede da unidade na AsaSul. Credibilidade Para o vice-presidente da CLDF, deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos), responsável pela gestão do Fascal, a assinatura "representa o retorno da credibilidade do plano no mercado". Barreira O grave acidente que ocorreu última quarta-feira (27), na DF-150, próximo à quadra 18 da Fercal, envolvendo dois caminhões e um carro de passeio, motivou o deputado Robério Negreiros (PDS) a solicitar aoGDFeao DER, a instalação de uma barreira eletrônica de velocidade no local. Sem atendimento Segurança De acordo com Negreiros, o pedido atende a reivindicação dos moradores da Fercal, que sofrem há tempos com a alta velocidade dos veículos que circulam no local. "Queremos evitar outros acidentes graves naquela área, paragarantir a segurança dos pedestres e condutores que trafegam pela Quadra 18", destacou o parlamentar. Muitos trabalhadores da seccional da OAB no DF têm reclamado do plano de saúde imposto pela administração da entidade, nos últimos tempos. Eles têm tido atendimento negado quando procuram hospitais da rede referenciada para atendimentos de urgência e eletivos. Desespero "Nos colocaram no mesmo plano dos advogados que usam o plano Caixa de Assistência dos Advogados (CAA). Quando um advogado vai para a emergência, ele consegue atendimento ou indicação, mas os funcionários não conseguem. Está uma situação desesperadora", reclamou o presidente do Sindecof-DF, Douglas Cunha. Transição Por meio de uma nota pública, a OAB do Distrito Federal afirmou que durante reunião realizada ontem, com a categoria, foi discutida uma transição entre os planos de saúde, de forma a solucionar esses problemas. Os trabalhadores eo sindicato estão no aguardo e de olho. Alerta A Fenaetem alertado sobre os riscos do esvaziamento do FGTS, decorrente da ampliação das modalidades de saques e aumento do desemprego. O orçamento para 2021, segundo a Caixa (operadora do fundo), éde R$ 77,4 bilhões valor inferior ao executado no ano passado- R$ 77,9 milhões. Risco Papel social "Neste momento crítico em que vivemos, a liberação dos saques do FGTS foi muito importante para socorrer e aliviar a população que está sem renda. Isto é indiscutível. Mas o Fundo tem um papel social fundamental para desenvolveras políticas públicas que amparam os brasileiros", disse um dos diretores da Fenae, Jair Ferreira. Segundo Ferreira, utilizar indiscriminadamente os recursos do FGTS com o argumento de aquecera economia é colocar em alto risco uma reserva que é dos trabalhadores. "Além de comprometer investimentos em programas sociais, como o de habitação popular, por exemplo", ressaltou ele. redacao@grupojbr.com LEOPOLDOSILVA/AGÊNCIASEN ADO Hylda Cavalcanti Catarina Lima