Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 01/03/2020 às 21h17

Lavar as mãos, lavar as mãos e lavar as mãos. Isso todo mundo já entendeu. Mas ainda há muitas outras dúvidas. Por exemplo: quem deve usar máscara? 

Só quem está doente ou quem quer se proteger do vírus? Sônia Bridi conversou com os infectologistas Alberto Chebabo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio-Libanês, para explicar como lidar com o Covid-19. Dois outros coronavírus provocaram doenças graves: a Sars, Síndrome Respiratória Aguda Grave, entre 2002 e 2003, e a Mers, Síndrome Respiratória do Oriente médio, a partir de 2012. O novo coronavírus é o sétimo da família. O novo coronavírus é o mais contagioso da família. Para chegar a mil casos, precisou de apenas 48 dias. O Sars levou mais de quatro meses para chegar a mil casos. E o Mers chegou a essa marca só depois de dois anos e meio. 

VEJA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA Veja a íntegra com as dúvidas sobre o novo coronavírus Mas o Mers foi o mais perigoso: matou 38% dos infectados, 17 vítimas fatais em cada grupo de 50. O Sars matou 9,8% dos infectados. Em média, cinco em cada 50. O novo vírus é menos letal: até agora, morreram 3,4% dos que pegaram a doença. Menos de duas pessoas a cada 50. 

Esta semana o corona chegou ao Brasil, e por onde se previa que chegasse: São Paulo, a maior metrópole, a mais conectada com o mundo. O primeiro paciente foi um homem de 61 anos, vindo da Itália. O segundo caso, confirmado no sábado (29), é de outro homem que esteve na Itália, de 32 anos. Os dois foram diagnosticados no Hospital Albert Einstein e estão em suas casas, acompanhados por profissionais de saúde. Eles têm sintomas leves e passam bem. São Paulo criou um comitê para enfrentar a chegada do coronavírus. 

O quão preocupados devemos ficar? O medo que as pessoas sentem é fundamentado ou é medo do desconhecido? Como pega? Basta passar por alguém infectado na rua? Quem está com tosse ou espirrando, como faz? Quanto tempo o vírus sobrevive no ambiente?

 Todo mundo tem celular na mão o tempo todo. Ele pode ser um foco? Veja as respostas dos especialistas no vídeo acima. Ouça o podcast do Fantástico: Dois outros coronavírus provocaram doenças graves: a Sars, Síndrome Respiratória Aguda Grave, entre 2002 e 2003, e a Mers, Síndrome Respiratória do Oriente médio, a partir de 2012. O novo coronavírus é o sétimo da família. O novo coronavírus é o mais contagioso da família. Para chegar a mil casos, precisou de apenas 48 dias. O Sars levou mais de quatro meses para chegar a mil casos. E o Mers chegou a essa marca só depois de dois anos e meio. VEJA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA Mas o Mers foi o mais perigoso: matou 38% dos infectados, 17 vítimas fatais em cada grupo de 50. O Sars matou 9,8% dos infectados. 

Em média, cinco em cada 50. O novo vírus é menos letal: até agora, morreram 3,4% dos que pegaram a doença. Menos de duas pessoas a cada 50. Esta semana o corona chegou ao Brasil, e por onde se previa que chegasse: São Paulo, a maior metrópole, a mais conectada com o mundo. O primeiro paciente foi um homem de 61 anos, vindo da Itália. 

O segundo caso, confirmado no sábado (29), é de outro homem que esteve na Itália, de 32 anos. Os dois foram diagnosticados no Hospital Albert Einstein e estão em suas casas, acompanhados por profissionais de saúde. Eles têm sintomas leves e passam bem. São Paulo criou um comitê para enfrentar a chegada do coronavírus. O quão preocupados devemos ficar? O medo que as pessoas sentem é fundamentado ou é medo do desconhecido? Como pega? Basta passar por alguém infectado na rua? Quem está com tosse ou espirrando, como faz? Quanto tempo o vírus sobrevive no ambiente? Todo mundo tem celular na mão o tempo todo. Ele pode ser um foco? Veja as respostas dos especialistas no vídeo do item acima. Ouça o podcast do Fantástico: